Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

terça-feira, 11 de julho de 2017

COMO ESTUDAR MAÇONARIA


Ao falarmos sobre Como Estudar Maçonaria, precisamos ter em mente o objetivo a ser alcançado e os problemas com os quais teremos que tratar. 

Sem dúvida, um grupo de professores universitários iria realizar tal estudo de uma forma sistemática, aprofundando na pesquisa, descobrindo pistas que ajude-os a esclarecer mais e mais o assunto.

Mas temos em mente que a grande massa de maçons, mais particularmente, os jovens que acabaram de entrar na Ordem, estão ocupados com os assuntos da vida e não têm nem o tempo, e talvez, nem a formação para seguir em detalhes um currículo extenso e variado de estudo maçônico. Como aponta Prof. Pickard, tal curso tenderia para repelir em vez de atrair e ser mais desanimador do que inspirador.

Por essa razão, temos procurado aconselhar o estudo prático e não apenas o teórico, e acreditamos que os resultados dos esforços da Cincinnati Masonic School, revelam o ponto central do problema, e como lidar com ele. 

Lá encontramos um grupo de homens, maçons típicos, sob a liderança de um ou dois estudantes veteranos, que há anos vem fazendo um bom trabalho no estudo da Maçonaria. Depois de tentarem vários métodos, eles acharam que a melhor forma era escolher algum livro e dominá-lo por meio de uma série de perguntas dispostas de modo a apresentar a mensagem e o seu ensinamento.

E em seguida passa-se para um estudo mais detalhado e aprofundado da filosofia ou dos períodos da história conforme o interesse e disposição de cada um.

Enquanto isso, a Grande Loja de Iowa vinha fazendo testes para definir qual o melhor método para incentivar maçons a estudar a Maçonaria, e o resultado de sua experiência foi o mesmo da Cincinnati Masonic School.

Por esse motivo foi solicitado ao seu editor escrever um pequeno relato e estudo sobre a Maçonaria, chamado The Builders, que a Grande Loja adotou não como uma declaração oficial e definitiva da história maçônica e de sua filosofia, mas para ser usado como uma espécie de livro-texto para mostrar o caminho para o estudante da Maçonaria. 

Cada linha do livro foi escrita com esse espírito e para essa finalidade, e seu arranjo foi determinado pelo desejo de provocar o interesse no estudo da Maçonaria e para direcioná-lo a caminhos fidedignos. Escrito tendo em vista esse fim específico, é o único livro já adotado por toda Grande Loja, e por esse motivo a Research Society também o adotou, sugerindo que ele seja usado como base ou guia no início do estudo da Maçonaria.

Cada estudante vai seguir o seu próprio método e plano, mas acredita-se que o Círculo de Estudos, formado dentro de uma Loja ou grupo de Lojas, é o núcleo em torno do qual o estudo da Maçonaria pode ser organizado e realizado para se obter os melhores resultados.

O Círculo de Estudos pode, por meio da cooperação com a Sociedade de Pesquisas, pode fazer uso de qualquer ou de todos os métodos sugeridos no Simpósio, seguindo o esquema de estudo delineado pelo Prof. Pound com interesse e desenvolvimento fundamentados. O Irmão Parvin contou como a Grande Loja de Iowa mantém seus membros em contato com a literatura maçônica, por meio de bibliotecas itinerantes. 

Outras Grandes Lojas podem fazer a mesma coisa, e mesmo as Lojas, individualmente, podem começar a formação de suas bibliotecas, acrescentando-lhes livros como necessidade exige ou a oportunidade permitir.

Da mesma forma, qualquer Loja ou Círculo de Estudos pode fazer uso do Masonic Lecture Bureau [1], cujos encontros são interessantes e instrutivos, mais sugestivos do que exaustivos, e destinam-se a aprofundar o interesse e provocar a o questionamento, com intuito de fomentar a pesquisa.

A Research Society tem em mente a criação de uma série de folhetos, tais como Prof. Shepardson sugeriu, e espera tê-los prontos no momento apropriado.

Quando muitos Círculos de Estudos estiverem organizados, e tiver desenvolvido seus estudos, eles podem se reunir em grupos maiores ou escolas de instrução quer no âmbito das suas Grandes Lojas ou em reuniões distritais, como Prof. Pickard sugere. Tal reunião seria ao mesmo tempo única e inspiradora.

Um programa de trabalhos bem escritos, temas para discussão, questões para debate, reuniria um grande grupo de maçons entusiastas e promoveria o bom companheirismo, bem como difundiria o conhecimento. Tudo isso e muito mais está ao nosso alcance, mas devemos dar o primeiro passo, e isso é o que temos agora em mente. Afinal de contas, a melhor maneira de fazer uma coisa é fazê-lo. 

Neste Simpósio trouxemos o que há de melhor da sabedoria da nossa Ordem a serviço de nossos membros, resta agora você saber fazer bom uso.

No mais, pedimos àqueles que estudam a Maçonaria que “comecem no início”, dominem os fatos sobre ela, e trabalhem com calma em direção à suas maiores e mais profundas questões. Um jovem vai escrever um ensaio sobre a virtude, mas um filósofo terá um ponto de vista dele sobre alguma virtude. 

Da mesma forma, muitas vezes, um jovem maçom vai mergulhar de cabeça no misticismo da Geometria, e emaranhar-se em meio a linhas, ângulos e curvas que ele perde o seu caminho, e ele se transforma em apenas uma pessoa que tem um hobby particular, em vez de um estudante. 

Conduzir o estudo da Maçonaria como faria com o estudo de qualquer outra coisa, começando do início, as coisas vão clareando à medida que você progride, passo a passo de maneira brilhante, aumentando sua confiança, ampliando sua perspectiva, e levando-o pelo caminho do bem, da beleza e da sabedoria verdadeira.

Editorial do The Builder
Tradução: Luiz Marcelo Viegas

Fonte:
The Builder Magazine
Volume I, Número 6, junho-1915

Nota
[1] – Na Grande Loja Maçônica de Minas Gerais temos a Escola Maçônica Mestre Antônio Augusto Alves D’Almeida que promove os círculos de estudos das instruções dos 3 graus, com duas horas de duração para cada uma das instruções, para os irmãos das lojas de BH e região metropolitana. Além disso, seus membros vão até às lojas do interior do estado, também promovendo um grande círculo de estudos com os membros das lojas da região visitada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares