Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

quinta-feira, 28 de abril de 2016

CÂMARA DE REFLEXÕES


Este trabalho tem o objetivo de esclarecer sobre os significados da Câmara de Reflexões, local esse que somos recolhidos logo após a nossa chegada a Loja, durante a iniciação.

Na Maçonaria, esse compartimento recebe o nome de Câmara de Reflexões, onde o candidato permanece em meditação, antes de ser conduzido ao templo, para a cerimônia de iniciação. Tudo nessa Câmara lembra a morte, a enfermidade da matéria e a eternidade do espírito.

 O candidato é conduzido vendado e devidamente guiado pelo 1º Experto e depois é retirada sua venda, e orientado a preencher um questionário e fazer seu testamento que estão sobre a mesa e ao terminar tocar a campainha.

  Ao se deparar com objetos e dizeres as quais induz a uma reflexão, sobre sua família, apegos materiais, amigos, sua vida e até a sua morte, um verdadeiro exame de consciência e atitudes.

         Inicialmente para o candidato esse local pode se mostrar um pouco assustador, mas após receber a “Luz” e com os ensinamentos que serão recebidos, percebe então que essa foi uma das principais fases de sua Iniciação.

Nesta Câmara, haverá um esqueleto humano ou, pelo menos um crânio, um pedaço de pão, uma bilha com água, enxofre, mercúrio, uma cadeira, uma campainha, uma mesa e uma caneta,

QUESTIONÁRIO
Após entrar recebe breve questionário com as seguintes questões:
·         Quais os deveres do Homem para com Deus?
·         Quais os deveres do Homem para com a Humanidade?
·         Quais os deveres do Homem para com a Pátria?
·         Quais os deveres do Homem para com a Família?
·         Quais os deveres do Homem para com consigo mesmo?


PAREDE - Na parede as inscrições abaixo:
- Se tens apego às distinções mundanas, vai – te. Nós não a reconhecemos.
- Se tens receio de que se descubram os seus defeitos, não estarás bem entre nós.
- Se fores dissimulado, serás descoberto.
- Se queres empregar bem a tua vida, pensa na morte.
- Se a curiosidade aqui te conduziu, retira-te.
- Se tens medo não vás adiante. 

O QUE HÁ SOBRE A MESA
        Sobre a mesa, estarão representados um galo, e uma ampulheta e, debaixo do galo, as palavras VIGILÂNCIA E PERSEVERANÇA.

A vela simboliza a Luz, uma vez que é o único luminar existente e auxilia ao candidato a preencher o formulário e ao ver os objetos ali existentes.

Crânio representa o despojamento da carne e, consequentemente da mente, representa o vazio, a ausência vital do cérebro, da inteligência e só pensamento.

Uma ampulheta é um instrumento usado para medir o tempo e para demonstrar que dentro da Câmara o tempo não para.

ESQUELETO - representa a fragilidade humana, necessária para que o profano deixe esta condição e renasça como um membro da ordem simboliza, ainda, a justiça divina, qual teremos que enfrentar para que possamos descansar em paz.

 MERCÚRIO - representado pelo Galo, é um símbolo não apenas de Vigilância e Coragem, como também de Pureza. Princípio fêmea, na alquimia, é considerado Hermeticamente como o princípio da Inteligência e Sabedoria.

ENXOFRE - É considerado o princípio macho, na alquimia. É o símbolo do espírito e por isso simboliza o ardor.

“ A pedra Filosofal é um Sal perfeitamente purificado, que coagula o Mercúrio a fim de fixá-lo em um Enxofre extremamente ativo. Esta fórmula sintética resume a Grande Obra em três Operações que são: a purificação do Sal, a coagulação do Mercúrio e a fixação do Enxofre”. (In “O Simbolismo Hermético” de Oswald Wirth)

O sal procede dos mares e no mundo moderno é indispensável na alimentação dos homens como dos animais e também simboliza o seu efeito é dizer que o iniciando é recebido com satisfação.

A bilha de água completa os elementos da natureza, pois, além de saciar a sede, “lava” as impurezas, enfim a bilha nada significa, o símbolo é a água, o terceiro elemento natural que simboliza a purificação, o refrigério e a candura.

O pedaço de pão simboliza a presença do trigo, é o símbolo do cárcere, deixar um homem a pão e água, significa castiga-lo pelo mal causado a alguém em outra época. O trigo simboliza a fartura, sendo garantia de subsistência e certeza de que não haverá crise nem penúria. O trigo sempre foi símbolo do poder revelador do mistério da vida, que, como grão pode germinar. Necessita da água e da terra para apodrecer e dar origem à multiplicidade de grãos, simbolizando a ressureição espiritual.

Iluminados pela luz da vela estão os papéis que o Iniciando deve interpretar: primeiramente o questionário, com uma série de perguntas que devem ser respondidas. Ao lado um formulário, para preenchimento de espaços, a respeito de testar bens e disposições gerais em caso de morte.

Esse renascer constante, a partir da morte simbólica, associado a toda escalada iniciática, no caminho que vai das trevas à luz, pode ser assimilado às sucessivas mortes e ressurreições da natureza, mostrada pelo ciclo imutável dos vegetais, em todos os anos, que simbolizam todo o aperfeiçoamento do candidato, desde que ele entra na Câmara de Reflexão, até que, como iniciado, ele percorre o caminho do conhecimento, que o leva à visão da Luz total, simbolizada pelo Sol, no Oriente.
          
  Uma iniciação maçônica é uma morte simbólica e um renascimento, ou, um novo nascimento. Podendo simbolizar em um determinado momento do ritual iniciático, a saída do útero para a luz.  

Rizzardo de Camino, um dos maiores autores maçons do Brasil, descreve a Câmera de reflexão como ''Propositalmente sinistras, com paredes negras adornadas com símbolos como: foice, o galo, frase vigilância e perseverança, caveiras, lágrimas desenhadas, ampulheta''. Os símbolos são lembretes ao maçom.

V.I.T.R.I.O.L. - É uma expressão em latim que é considerada uma língua morta, mas o significado e amplo é esotérico.

“Visita o interior da terra e, retificando, acharás a lápide oculta”.

Esta expressão lembrará ao candidato que, na Maçonaria, o mesmo de dedicará à construção moral do seu interior.

“Contém em si algo de profundamente místico: o “interior da terra” seria o próprio ser humano;” a pedra oculta”, o esoterismo da parte” interior e espiritual” do homem; em ambos os casos, deve haver uma” descida”, uma “penetração profunda”, em todos os aspectos do ser humano.

“Para conseguir esse intento, será preciso uma “retificação”, ou seja, uma “mudança” que equivale a um” renascimento”, porque a finalidade da iniciação é justamente esse renascimento.

Bibliografia:
Site Brasil Maçom

Rizzardo da Camino - O Aprendiz Maçom

Edição 1999 - Ritual do Grau de Aprendiz
Oriente de Miguel Pereira, 22 de Julho de 2015.

                                  A.’. M.’.   Jorge A. Fonseca

ARLS Cedros do Líbano – Miguel Pereira/RJ – GOB-RJ

Postagens populares