Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

quinta-feira, 9 de maio de 2013

MAÇONARIA NÃO É UMA RELIGIÃO



A religião deve ser tão graduada como a evolução senão falhará em seu objetivo. Se uma religião não alcança e domina a inteligência, se não purifica e inspira as emoções, terá falhado em seu objetivo, tanto quanto a destinatário está em causa. ”  [Annie Besant]
A ordem tem sempre o cuidado de explicar que a Maçonaria não é uma religião. Ele negou o fato outra vez, e insistiu que era uma loja ou fraternidade, e de modo algum foi  intenção de tomar o lugar da igreja na vida de um homem. Alega-se que a Maçonaria é universal, seus princípios de tal forma que eles podem ser subscritas por cristãos, judeus, muçulmanos e budistas iguais, e todos podem reunir-se em fraternidade em seus altares.
Maçonaria tem sido muito cuidadosa em suas explicações? Muito veemente em suas negações? Tem que tão alto se proclama que não é uma religião que seus seguidores foram levados a pensar que não é religioso? Tem sido com medo de inadvertidamente pisar nos dedos do pé figurativos de algum credo, confundindo um credo para a religião?
A crença é definida como: “uma confissão formalmente formulada da fé; uma breve declaração resumindo a autoridade da crença religiosa.” Como tal, certamente a Maçonaria não é uma “crença”, mas também um “credo” não é “religião“. 
O que é religião? O dicionário define como: “O reconhecimento da relação do homem com um poder sobre-humano divinas, a quem obediência e reverência são devidas, os atos e práticas de vida exteriores pelos quais os homens indicam o reconhecimento de tais relações, de conformidade com os ensinamentos da Bíblia, e forte do homem para atingir a bondade de Deus. “
O que é a Maçonaria? O Manual Maçônica de Missouri contém essa definição: “A Maçonaria é um belo sistema de moral, velado em alegoria e ilustrado por símbolos Seus princípios são amor fraterno, auxílio e verdade Suas virtudes cardinais são Temperança, Fortaleza, Prudência e Justiça sua religião… , se a religião pode ser chamado, é uma crença sincera em um Deus vivo e verdadeiro. “
Em Moral e Dogma, Albert Pike, oferece a seguinte definição: “A Maçonaria é a subjugação do Humano que está no homem pelo Divino, a conquista dos apetites e paixões no sentido moral e a razão, uma luta contínua, o esforço e a guerra do espiritual contra o material e sensual. Essa vitória, quando foi alcançado e garantido, e o conquistador habite em seu escudo e usar os louros bem merecidos, é o verdadeiro Sacro Império.”.
O tempo chegou para a Maçonaria para reafirmar a sua posição clara, não só admitir, mas a declarar, que é religioso, embora ela pode muito bem explicar que isso não é uma religião no uso indevido comumente aceito da palavra “religião”. 
Uma atitude contrária pode ter sido desculpável no passado, como a grande maioria dos maçons, ignorantes dos ensinamentos esotéricos, foram igualmente ignorantes do fato de que esses ensinamentos constituem religião. Isso nunca foi verdade dos grandes estudiosos maçônicos do passado, todos cujos escritos mostram o reconhecimento da religião na Maçonaria.
 O que é religião? “A religião é o reconhecimento da relação do homem com um poder sobre-humano divino, a quem obediência e reverência são devidos.” O Manual Maçônico afirma: “a religião da Maçonaria, se a religião pode ser chamada, é uma crença sincera na LIVING Deus único e verdadeiro.“ A definição de religião continua: “Os atos e práticas de vida exteriores pelos quais os homens indicam o reconhecimento de tal relação.“ 
Paralelamente a isso, o manual maçônico continua: “princípios [da Maçonaria] são amor fraterno, auxílio e verdade”. Como pode mais uma de “atos e práticas exteriores” indicam o reconhecimento do Supremo Arquiteto do Universo e na relação com Ele, do que pela prática do amor fraterno, Socorro e Verdade? O reconhecimento de Deus como Pai de todos exige o reconhecimento de todos os companheiros como um irmão, exigindo amor fraternal que engloba alívio quando necessário, e acima de tudo, a verdade.
Pode-se afirmar que  ”há conformidade com os ensinamentos da Bíblia.” Há sempre um momento na Loja Maçônica, quando a Bíblia é ignorada? É não abrir constantemente nos altares da Maçonaria? Não é a atenção dos mais novos Aprendizes imediatamente direcionados para isso? Será que ele não disse: “A Bíblia Sagrada nos é dada como regra e guia de nossa fé e prática“? 
Escritura é citada em cada grau, e a oração final é: “e com o estudo reverência e obedecer às leis que tens nos dado em Tua Santa Palavra.“ Se a “conformidade com as Chings chá da Bíblia” é o critério em que decidir se quer ou não a Maçonaria é religião, o caso já está resolvido afirmativamente.
O que dizer da última parte da definição de religião: “O esforço do homem para atingir a bondade de Deus.”? “A Maçonaria é a subjugação do Humano que está no homem pelo Divino, a conquista dos apetites e paixões no sentido moral e a razão.” “Esforço do homem para atingir a bondade de Deus.” Quem sabe a “bondade de Deus”? Como é que pode ser medido pela mente finita? Foi dito, “o homem faz de Deus em sua própria imagem.” Esta é a pronunciação do cínico, mas, estranhamente, em um sentido diferente do que a observação ou ignal foi destinado, é verdade. 
Com o Livro somos admoestados a estudar “com reverência” informa-nos que o homem é feito à imagem de Deus. Isso é igualmente verdade. Deus primeiro criou o homem à Sua imagem e, desde então, o homem vem fazendo Deus à sua própria imagem. Se a pessoa se senta entre dois espelhos que ele vê a sua imagem refletida no espelho um do outro, enquanto reflete a imagem da imagem. 
Aqui o analógico material deve cessar, para que o homem continua a “fazer Verdade em sua própria imagem“, e cresce  espiritualmente para essa primeira semente, comparam a que aspira, sua concepção amplia e ele imediatamente faz de Deus na imagem de si mesmo em sua nível espiritual recém alcançado, e assim por diante ad infinitum. A cada passo, a “bondade de Deus” se aproxima de realização Eventualmente, o homem faz de Deus à sua imagem, e a imagem é indistinguível do objeto. Que fez o que? O que importa? Só que o final tenha sido atingido.
O Mestre, Jesus, já foi feita uma pergunta a intenção de colocá-lo em uma posição embaraçosa com as autoridades romanas. “É lícito dar tributo a César, ou não? *** Mostrai-me a moeda do tributo. Eles trouxeram um centavo. E ele disse-lhes, cuja imagem e a inscrição é isso? Eles lhe dizem César. Então disse ele lhes fez, dai a César o que é de César ea Deus o que é de Deus. “ Na época, foi a resposta de um psicólogo perspicaz colocar seu interlocutor “no local” destina-se a si mesmo, mas como todas as suas respostas, não só resolveu a questão no momento, mas tem vindo ao longo dos tempos, estabelecendo-se as questões de gerações futuras.
Qual é o significado deste incidente para o nosso problema? Chamar as coisas materiais da vida “César”, e do espiritual “Deus”. Volte para a definição da Maçonaria e leu: “ Suas virtudes cardinais são temperança, firmeza, prudência e justiça“ Jesus não aconselhou a desconsiderar César, ou o material, mas para tornar a ela seu apenas devido, tendo o cuidado de prestar a Deus ou a sua devida espiritual também.
“MODERAÇÃO” – temperamentos, não proibição das coisas materiais, mas criteriosa utilização dos mesmos, a contenção do excesso de indulgência.“Sede vós em todas as coisas.” Temperado no que você come, bem como o que você bebe. Temperado em suas observações e de fala. Temperado em seu julgamento de seu companheiro, que “a devida moderação sobre os nossos apetites e paixões que tornam o corpo manso e governável, e liberta a mente das seduções dos vícios.” 
Novamente citando Morals and Dogma, a temperança é a “conquista dos apetites e as paixões no sentido moral e a razão.“ É também a circunscrever os nossos desejos e à manutenção de nossas paixões dentro dos devidos limites, não com um irmão Maçom sozinho, mas com toda a humanidade.
“FORTALEZA” – é uma atitude de alma. De acordo com o dicionário, é “força espiritual para suportar o sofrimento e as adversidades com coragem.” Mas pode suportar a adversidade, sem fé? A única razão pela qual o homem se manifesta fortaleza é o seu conhecimento intuitivo que a fortaleza é compensado no lado espiritual da vida.
“Prudência” – “nos ensina a regular nossas vidas e ações concordando com os ditames da razão, e é esse hábito pelo qual nós sabiamente juiz e discretamente determinar sobre todas as coisas em relação ao nosso presente, bem como felicidade futura“.
“JUSTIÇA” – é o princípio de lidar com retidão e justiça com os outros, independentemente da relação material que existe entre nós. Justiça torna-vos cada um o seu devido, independentemente de sua posição na vida, sem medo ou favor. O homem só é um homem justo, ele não pode ser de outra forma. Quanto mais ele prevê “prudentemente” que a justiça verdadeira, melhores serão suas ações. O homem só será aquele a quem Buda se referiu quando disse: “Ele é o homem nobre que se é o que ele acredita que outros homens sh ould ser” É o final da justiça não esperar nada dos outros que não estão dispostos a fazer ou ser nós mesmos.
Ao dar o material devida consideração, e na justiça prestação a ela as coisas que são o material de mais lhes dando mais, mantendo corretamente os nossos desejos e paixões entre os pontos longos das bússolas, que tornaram automaticamente até o espiritual as coisas que são espirituais. O homem não é uma “divisão”, mas uma “unidade” – Corpo, Alma e Espírito – e quando prestar a devida a qualquer parte indivisível temos servido o todo. Não é esta a religião como descrito como “um esforço para atingir t ele a bondade de Deus”?
Nem a negação oficial nem confirmação pode mudar os fatos. É de pequena consequência ou não Maçonaria é reconhecida como religião. O importante é como é PRATICADO. Desenhe o véu de alegoria do “belo sistema de moral”, descobrindo assim as verdades espirituais mais profundas de seu significado, ao mesmo tempo, seguindo as advertências relevantes.
“Ilustrado por símbolos” cada símbolo aponta uma lição de moral e é usado como um exemplo para a vida material, mas sempre há outras interpretações que têm referência ao espiritual. Até que um “procura e descobre que significado mais profundo e aplica-lo espiritualmente a Maçonaria não é religião”. Torna-se religião só para aquele que encontra a religião em que, para outros, ele permanece, mas ritual, e na melhor das hipóteses um sistema de moral. Ainda existe a promessa contida na “regra e guia da nossa fé e prática” – “buscai, e achareis.”
 Tradução: Ivair Ximenes Lopes
 cap 2 - Maçonaria – seu sentido oculto por George H. Steinmetz
A interpretação espiritual do trabalho esotérico da loja maçônica, analisa as palestras e símbolos dos três graus. (1948)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares