Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

WHATSAPP E A MAÇONARIA


A perpetuidade da Maçonaria se funda justamente na manutenção de nossas tradições, sem nos tornamos arcaicos. Arcaico, aqui, se refere ao antiquado, obsoleto e não ao tradicionalismo: do latim traditio, que é “passar adiante” ou “entregar” algo.

No compartilhamento das instruções, transmitimos os valores morais e éticos contidos nos símbolos, gestos e marchas. Através da ritualística e por meio do conteúdo da lenda e do respeito à hierarquia, buscamos o sentido da formação do Ser.

Tudo o que é novo causa algum tipo de atrito entre o “antigo” e o “moderno”. Assim foi quando os balaústres começaram a ser gravados, já que prometemos nada grafar. Hoje, não há conflitos quanto ao uso de computadores para a lavratura.

Mas, já ocorreram embates quanto à substituição do Livro de Atas lavrado à caneta, na reunião pela folha impressa numa “profana impressora” (já que ela estaria fora do Templo) em data posterior a reunião. O que dizer, então, da luz elétrica, da harmonização feita por pen drive em micro system e dos aparelhos de ar condicionado?

O PROBLEMA DAS “MODERNIDADES” NÃO ESTÁ NO USO,
MAS NO MAU USO.

O aplicativo WhatsApp, esta fantástica ferramenta de comunicação, aproximação e estreitamento de laços tem, frequentemente, provocado exatamente o contrário. WhatsApp vem da expressão em inglês “What’s up?” substituindo o “up” por app, de “application program”. Se traduzido para o português a expressão tem significa: - E aí? - O que esta acontecendo? - Qual é o problema? O aplicativo tem este nome justamente para que possamos compreender sua missão.

A plataforma destina-se a mensagens rápidas, objetivas e direcionadas. Sejamos sinceros: O que temos praticado são, na maioria das vezes, desvirtuamentos. Nos grupos criados sob o tema “Filosofia”, vemos Irmãos postando imagens e textos sobre futebol; grupos de Lojas Maçônicas com cenas de nudez, grupos de Hospitalaria onde o assunto predominante é política partidária.

Algumas reflexões: Se você acorda cedo, parabéns! Mas, é realmente necessário enviar um mero “Bom dia”, às 5, 6, 7 horas da manhã, para todos os 20 grupos que você e a maioria de seus Irmãos fazem parte? Doação de sangue para um moribundo, córneas sobrando, 500 cadeiras de rodas para doação, vagas de empregos em multinacionais, sequestrados, perdidos e abandonados em hospitais etc., essas mensagens devem ser multiplicadas somente se confirmada a veracidade da informação.

Seja criativo. Crie sua própria mensagem. O simples “copiar/colar” e enviar para todos os grupos, só serve para encher a memória dos celulares. Se você recebeu aquela “linda mensagem” provavelmente todos nós já a recebemos.

Entre nós Maçons, imagens e filmes de violência, agregam alguma coisa? Mensagens de WhatsApp são como flechas. Depois de lançadas, não tem como pará-las. Na maioria das vezes, os Irmãos miram um alvo e acertam outros. No calor e na intempestividade de se manifestar, magoamos, afastamos e destruímos fraternas relações.

A MODERNIDADE SERÁ SEMPRE O PRÓXIMO PASSO. MANTENHA SEUS SENTIDOS EM ALERTA, A MENTE ABERTA E O CORAÇÃO PURO. TEMOS A OBRIGAÇÃO DE USAR TODAS AS FERRAMENTAS A NÓS APRESENTADAS APENAS E EXCLUSIVAMENTE PARA EDIFICAR, SEJA AGENTE MODIFICADOR DAS VIBRAÇÕES DOS SEUS GRUPOS PARA QUE HAJA JUSTIÇA E PERFEIÇÃO.

Este artigo foi inspirado no livro “CAIBALION – OS SETE PRINCÍPIOS HERMÉTICOS” que na página 29 há o estudo do Princípio da Vibração: “Nada está parado; tudo se move, tudo vibra” Neste décimo primeiro ano de compartilhamento de instruções maçônicas mantemos a intenção primaz de fomentar os Irmãos a desenvolverem o tema tratado e apresentarem Prancha de Arquitetura, enriquecendo o Quarto-de-Hora-de-Estudos das Lojas.

Precisamos incentivar os Obreiros da Arte Real ao salutar hábito da leitura como ferramenta de enlevo cultural, moral, ético e de formação maçônico.

Fraternalmente
Sérgio Quirino – Grande Segundo Vigilante – GLMMG

2 comentários:

  1. Roberto Bini Lopes8 de maio de 2017 20:32

    Muito bom texto meu Ir.'.
    Procuro praticar em tese, todos os seus argumentos, mas confesso que às vezes caio na contradição! Entretanto concordo no cumprimento inflexível de atitudes, afim de adequarmos essa magnífica ferramenta aos reais interesses de nossa instituição!

    ResponderExcluir
  2. Disponho meu contato para que nossos ir:. M'.. possam contactar-me via whatts. T:.F:. A:.

    ResponderExcluir

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares