Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

terça-feira, 3 de outubro de 2017

INSTRUÇÃO MAÇÔNICA PRIMÁRIA


Sabemos que a instrução primária é fundamental e decisiva para a formação do homem vulgo ou maçom. Se bem aplicada aos iniciantes, não há duvida que será a base para a vida pessoal, social e profissional de cada um deles. 

Na maçonaria, também aquele que é bem instruído no grau de aprendiz, tem boa chance de ser um Companheiro ativo, e mais adiante um Mestre perfeito. Isso não é novidade, porém nas Lojas, as instruções tem sido aplicadas por mestres aptos e dedicados? 

Conheço pouco como é a Instrução maçônica em cada Loja,  e se ela é ou não aplicada.  Existe o caso que relata o ir. Saulo Aziz, pampeano da mais fina cepa, que um dia tentou ministrar instrução aos aprendizes de sua Loja. Prontamente, o Venerável se manifestou contra, alegando que “uma sabatina poderia constranger os aprendizes”. Então, a sugestão do foi derrotada fragorosamente pelos membros da Loja.

Em minha vida maçônica recebi instruções no primeiro Grau que me valem ainda hoje, décadas depois.  Bem preparado no começo, o aprendiz maçom, assim como o aluno de uma escola, não sentirá dificuldade para enfrentar cada passo na sua caminhada maçônica, visto ter uma sólida base.

Quem sabe a evasão maçônica tão elevada hoje, e a falta de interesse, não possa estar na raiz de uma malfeita preparação.  Parece que nos dois primeiros graus, incentivados pelos mestres instrutores que os ensina e orienta, os maçons se mostram mais interessados e motivados, enquanto que na Mestria há certa desídia.

Vivi com entusiasmo essa fase de instrução, depois a apresentação de trabalho escrito, e por fim a sabatina. Recordo ainda da emoção e medo que senti de enfrentar aquela “banca examinadora” estando de pé e à ordem o tempo todo, com a respiração ofegante e transpirando frio. Soube depois que me fizeram trinta e sete perguntas.  

Mas porque estou falando isso agora, pode alguém perguntar. É porque um irmão, agora Mestre, conta que em sua sabatina de aprendiz, alguns mestres, talvez querendo mostrar conhecimento, fizeram perguntas que pouco ou nada tinha a ver com as instruções do grau.

Por exemplo: qual é o endereço de nossa Loja?  Quais são os dez ritos mais praticados no mundo? Coisas que não acrescentam nada, nem são pertinentes ao aprendiz. Todos os irmãos presentes devem se compenetrar que a sabatina é importante não só para os que vão a ela ser  submetidos, mas para toda a Loja. 

Para que tudo saia à perfeição, o Venerável não deve permitir que o sabatinador leia o ritual, nem tenha perguntas escritas prontas no papel, e quando o sabatinado não souber responder, quem fez a pergunta deve respondê-la.

Por -  Jamir Vieira*   e  Laurindo R. Gutierrez**

*Loja Regeneração  Terceira- Londrina- PR
**Loja de Pesquisas Brasil – Londrina-PR-
**Loja de Pesquisas Chico da Botica- Porto Alegre- RS- ( membro correspondente)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares