Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

terça-feira, 3 de abril de 2018

PRIMO NÃO É IRMÃO


Quando vos conto do primo
Notem que é triste minha fala
Porque o primo é um “mala”
Mas pensa que é um arrimo
É mais liso do que limo
Que floresce em qualquer chão
Mas lhes digo de antemão
Garnisé nunca foi galo
Petiço não é cavalo
E primo não é irmão

O primo pouco aparece nas seções de nossa casta
Qualquer motivo lhe basta e da reunião ele esquece
Não sai quando escurece
Ando me sentindo mal
Tudo é desculpa é normal
E quando vem atrasado chega pedindo emprestado o livreto e o avental

O primo acha importante ter um cargo de valor
Ser da loja o orador ou então o vigilante
Outros são irrelevantes para sua sabedoria
Já foi mestre de harmonia, gosto particular
E por ter que trabalhar nunca quis secretaria

O primo não abre a mão
No tronco se ouve a queda do tilintar das moedas da sua contribuição
Centavos que lá se vão com muita dificuldade
Diz que não faz por maldade
Mas fica rubro e irritado quando lhe cobro o atrasado da sua mensalidade


Não levanta um alfinete, Mas bota defeito em tudo
Do som que acha sisudo ao ressoar dos malhetes
Pode ser um palacete a loja que ele frequenta
Que um porém ele apresenta sem no entanto ajudar
Criticar por criticar é a sua ferramenta

Sempre exige uma posição da loja contra os sistemas
Mas nem abaixo de novena ele integra uma comissão

Diz que sua obrigação como obreiro é relatar
Que já fez muito em mostrar o que acha intolerável
Agora é com o venerável
Ele que vá se virar
Se o assunto é cooperar
O primo não dá o nome
Na hora do pega se some
E ali fazem seu lugar
Nunca prepara um jantar porque está sempre ocupado
Mas se é boca livre é um pecado
Além da pose e da gula

O primo não se encabula se ainda leva uns convidados

O primo quer compreensão com as suas falhas profanas
Mas não passa uma semana sem pisotear um irmão
Se acha o tal da razão é a lei o delegado
Sem perceber que a seu lado poucos lhe dão importância
E que a velha tolerância é o que o mantém em torado

Só uma coisa eu lhes digo para o bem da maçonaria
Para evitar mordomias
Que o primo seja inquirido
Passar a mão faz sentido
Se tiver volta o vivente
Se não tem que siga em frente
Pois o importante é a harmonia
Melhor ser cinzento um dia
Do que amarelo para sempre.

Eduardo Lecey

Um comentário:

  1. Como consegui a posse integral da verdade, Antonio Milagre Caldeira, 022682-9 Loja Progresso e Ordem, 36 Nº 58 Bonsucesso Rj

    ResponderExcluir

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares