Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

MAÇONARIA - TRANSMISSÃO DA PALAVRA SAGRADA



O símbolo dá margem a interpretações diferentes, o que sem dúvida é a causa das diversas interpretações de um mesmo texto de ritual. Temos que ficar atentos para o que está escrito, e suas diferenças.

Pedir a palavra é uma coisa totalmente diferente de transmitir a palavra. A identificação de maçons é feita através de sinais, toques e palavras, pedir a palavra é uma das maneiras de se identificar maçonicamente.

Com o pedido da palavra, se inicia uma série de procedimentos ritualísticos para a confirmação do “status” de maçom, tais como, posicionamento, toques relativos aos graus que se deseja confirmar, etc. Em geral, tais procedimentos são executados entre dois maçons, ou mesmo três, dependendo do grau, existindo outra maneira para o caso de se receber visitantes em Loja.

A transmissão da palavra é o nome que se dá, quando o Venerável Mestre faz o procedimento através do Diácono, que deve transmiti-la da mesma maneira que a recebe. Não existe relação entre as palavras pedir e transmitir, cada uma tem um significado.

Portanto, o Venerável Mestre deve transmitir a palavra ao ouvido do Diácono (Jó - Cap. 4, Ves. 12: “uma palavra se me disse em segredo, e os meus ouvidos perceberam um sussurro dela”).

O Diácono se aproxima para receber a palavra, pelo mesmo lado onde se posiciona próximo ao Venerável Mestre, não existe o deslocamento para outra posição para se receber a palavra, um “Santos Dumont” qualquer inventou uma nova maneira e vários Veneráveis a seguem de maneira errada.

O Venerável, jamais, deve proceder como se estivesse pedindo a palavra, fazendo-se a troca de letras ou sílabas com o Diácono. Os Diáconos devem levar a palavra aos Vigilantes e, após cumprirem com o seu dever de mensageiros do Venerável Mestre, devem retornar aos seus lugares, não devem ficar esperando junto ao altar dos juramentos para a formação do pálio. Somente se deslocam para se posicionarem naquele local após a confirmação feita pelo 2º Vigilante.

PEDRO NEVES .’. M.’. I.’. 33.’. MRA.’. PRECEPTOR DA SUPREMA ORDEM CIVIL E MILITAR DOS CAVALEIROS TEMPLÁRIOS
Nota da redação: procedimento válido para o REAA/GOB

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares