Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

O QUE É UM FALSO MAÇOM



É um Profano. 

Consideramos que esse seja o uso mais adequado para essa palavra, porque se refere a alguém que está fora do Templo, que não tem respeito pelo sagrado, é desonesto porque ao se fazer passar pelo que não é, caracteriza falsidade ideológica. 

Isso sim, é profanação.

E qual a motivação desse profano?

Em primeiro lugar, o MITO que maçons tem benefícios e portas abertas em todos os lugares que passam.

Em segundo lugar, o MITO que a maçonaria é uma instituição onde há favorecimentos financeiros e que todo maçom é rico.

Em terceiro lugar, a necessidade de status e poder que é relacionada à imagem dos aceitos.

O Profano é diferente do Não Iniciado, do Aspirante, do Curioso, do Simpatizante.

E alguém que por não ter sido, por algum motivo, convidado a ingressar na Maçonaria, se passa por Maçom até mesmo entre Maçons, fazendo uso inclusive de abreviaturas, terminologia Maçônica, assinatura com três pontinhos, chaveiros com o emblema da Maçonaria e adesivos, preferencialmente com a figura de um bode.

Aliás, permitam-nos esclarecer aos irmãos que o uso do tri ponto e de termos que são empregados - especificamente em reuniões cobertas -, em textos das redes sociais, faz com que profanos tenham acesso a essas particularidades e as repliquem.

Só para exemplificar: Dia desses postamos um aperto de mão genérico para ilustrar uma postagem da página e um irmão enfatizou que aquela não seria a imagem correta.

Não usamos na página referências diretas aos usos e costumes, pois entendemos que eles devem ser reservados a membros da ordem quando em Loja.

Voltemos ao Profano:
É um falsário extremamente perigoso, pois além de eventualmente disseminar entre os não iniciados ideias distorcidas sobre a Maçonaria e os Maçons, pode vir a obter, por dissimulação junto aos Maçons, conhecimento de práticas que só dizem respeito àqueles que foram iniciados na Ordem.

Não conhecem verdadeiramente o que é a Maçonaria e em seus comentários, acabam dando margem a certas mentiras, lendas e equívocos que serão propagados por outros. 

São certamente portadores de um desvio de personalidade que melhor poderia ser analisado por um psiquiatra.

Mas, como fazer para reconhecê-lo?

Lembremos: Prudência e Circunspecção.

A Prudência não é só uma letra morta, mas um atributo que todo maçom deve praticar.

Prudência: 'previdência, previsão, sabedoria, tino, inteligência, sagacidade, ciência, calma, ponderação, sensatez, paciência ao tratar de um assunto.

Não confundir com: antipatia, grosseria, zombaria, deboche ou desdém.

Estabeleça um diálogo, preferencialmente no in box e faça-lhes perguntas como o nome da Loja, o nº da Carta Constitutiva, a Potência, o Oriente, a Grande Loja, o Rito, o nome histórico, o Grau, a idade, o nome do V.’.M.’., o dia das reuniões, entre outras.

Algumas perguntas por si só e outras de forma combinada, desmascaram qualquer Falso Maçom, sem expor os métodos usuais.

Usamos na elaboração do texto algumas referências: 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares