Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

DESABAFO CONTRA O PRECONCEITO A MAÇONARIA



Caros amigos.

Vou escrever um breve texto, espero que não seja muito "chato e extenso"... rsrsrs. 

Há poucos dias vi uma postagem de uma pessoa altamente educada, inteligente, culta, elegante, "do bem", e infinitamente respeitada (com todo mérito, e com toda a minha concordância, aliás!), em que foi citada a Ordem Maçônica, e uma "proibição" de uma determinada vertente religiosa (que tem todo o meu apreço e o meu respeito, inclusive) de seus membros pertenceram à Maçonaria.

Não vou entrar no mérito dessa "proibição", vou apenas me atrever a tecer alguns comentários... Bem, como alguns devem saber, sou maçom há cerca de 7 anos, e vou dizer apenas algumas breves palavras aqui sobre essa Ordem, e sobre seus "conflitos" com religiões ao longo da história.

Em épocas remotas, as igrejas, principalmente a católica romana, entraram em conflito radical contra a então "Ordem dos Pedreiros Livres", a Maçonaria. Havia uma intolerância religiosa, época da "Inquisição", e não vou me aprofundar nesta questão, para não me alongar mais ainda (há farta literatura sobre o assunto).

O fato é que a Ordem teve que se manter "sigilosa e escondida" para sobreviver, pois foi cruelmente perseguida como se seus componentes fossem "hereges". Muitos erros a "igreja oficial" cometeu, e hoje inclusive vê-se o Vaticano "pedindo perdão" por atrocidades cometidas durante sua história, principalmente na época citada, da "Inquisição".

Como em tempos antigos, a Igreja e o Poder do Estado "se confundiam e se misturavam" no comando das nações, então muitos governos também perseguiram a Maçonaria. A Maçonaria existe "oficialmente" desde o início de 1700, mas seu verdadeiro início, segundo alguns estudos, pode remontar a muitos séculos antes.

Trata-se, basicamente, de uma fraternidade de pessoas supostamente "do bem", de bons costumes e de retidão de caráter (embora esse julgamento de "quem é quem" é feito pelo homem, e pode ser falho, assim como é falho o ser humano, e certamente existam maçons sem este perfil citado).

A principal exigência para que alguém seja admitido em nossa Ordem é "acreditar num Ser Supremo" (que nós chamamos de Grande Arquiteto do Universo, que é Deus). E também crer na imortalidade da alma. Não somos uma religião, e nossos membros (que chamamos de irmãos) são de várias vertentes religiosas.

Reunimos-nos periodicamente para debater assuntos, trocar idéias, glorificar o Grande Arquiteto do Universo, sempre pensando no bem da humanidade, seguindo nosso lema histórico "Liberdade, Igualdade e Fraternidade".

Nada fazemos de mal, e hoje, sem as "perseguições" acima citadas, não há mais necessidade de nos mantermos "escondidos". Há apenas uma "discrição" de nossa parte, muito até por questões culturais de "manter a tradição".

Nunca houve nada que denegrisse a imagem da Maçonaria, exceto "tresloucadas teorias de conspiração" espalhadas por "anti-maçons" no decorrer da história (sem nenhum fundamento, e sem nenhuma confirmação histórica!). Pelo contrário, nossa Ordem sempre esteve ligada a movimentos que ajudaram a mudar o rumo da humanidade, sempre com questões altruístas e humanitárias (no Brasil, podemos citar rapidamente a Inconfidência Mineira, a Independência e a Proclamação da República).

Portanto, caros amigos, a intenção deste texto não é "bater de frente" com ninguém, nem criar nenhum tipo de polêmica. O intuito é apenas ESCLARECER. Vivemos numa época em que preconceitos estão caindo. Não há porque ter "preconceito" contra a Maçonaria.

Observem seus membros. Observem seus atos. Reflitam. Não quero aqui convencer ninguém a querer entrar para a Maçonaria.

Somos discretos e reservados, não fazemos isso. Quero apenas que as pessoas deixem seus preconceitos de lado, preconceitos estes baseados em antigas "idiotices" que a humanidade já superou.

Somos todos irmãos. Somos todos filhos do Pai.


Cléber Capella – MM – ARLS Cedros do Líbano, 1688 – Miguel Pereira-RJ 

3 comentários:

  1. Parabéns pelo seu texto. Não sou conhecedor da maçonaria, mas pela experiência que tenho de algumas igrejas cristãs percebo que existe por parte da maioria delas a explícita intenção de forçar as pessoas a acreditar em mitos, impedindo-as de desenvolver algum tipo de crítica e pensamento autônomo. Eu ouvi muitas coisas sobre a maçonaria dentro das igrejas, e não eram positivas, mas diante da má intenção de muitos que se dizem líderes religiosos eu nem consigo dar crédito ao que dizem. Tenho muito interesse em aprender mais sobre o assunto, e ficaria feliz se pudesse me indicar algumas referências bibliográficas. Me interesso pela filosofia maçônica, mas por trabalhar em um instituto católico preciso manter alguma discrição sobre isso, pelo menos por enquanto. Forte abraço e Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  2. PARABENS MEU IRMÃO EXCELENTE TEXTO. IRMÃO CLAUDIO M DORNELES DA A.:R.:L.:S CIDADE VERDE Nº 15, ORIENTE DE CUIABÁ - MT. TFA.

    ResponderExcluir

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares