Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

sábado, 16 de janeiro de 2016

DO PACTO E DA UNIÃO


O dicionário registra que Pacto é ajuste, contrato, convenção e que União é junção, coesão, concórdia, harmonia, UNIDADE...

 Para celebrar um PACTO é necessário entendimento; para alcançar a UNIÃO basta o Amor...

O estado de tensão nascido da crise dos valores do final de século XX leva o maçom a redimensionar seu papel na sociedade.

Preocupado não apenas com a cidadania, urge ao homem moderno defender e lutar pela preservação dos costumes e do meio ambiente.

Esta luta será, sem dúvida, um desafio para a maçonaria. Unida, forte e progressista a maçonaria tem um vasto campo de atuação visando ao progresso da humanidade, basta cada maçom dedicar sua cota de participação, desprovido de preconceitos e conservadorismo a serviço de sua Loja e da Sociedade.

Num momento de contrastes e confrontos, é bom lembrar que o Padre Antônio Vieira foi recolhido à prisão de 1665 a 1667. Aquele grande orador sacro foi defensor do capitalismo judaico e dos cristãos novos porque via no monopólio comercial a saída para os pequenos comerciantes que prosperariam na nova terra denominada Brasil.

Contra si teve o vociferar da burguesia cristã e não se intimidou na defesa dos indígenas e pequenos colonos. Vieira fez das matas o palco para sua pregação religiosa aos indígenas e do púlpito tribuna para seus comentários políticos.

Neste início de século cabe-nos, como obreiros da arte real, sedimentar a UNIÃO em prol do bem comum, assimilando a lição e os exemplos do PREGADOR Antônio Vieira, que, um dia, assim se expressou:

A UNIÃO “As obras da natureza e as da arte todas se conservam, e permanecem na união; e todas, na desunião, se desfazem se destroem e se acabam. Uma união de pedras é edifício; uma união de tábuas é navio; uma união de homens é exército. E sem esta união tudo perde o nome, e mais o ser. O edifício sem união é ruína; O navio sem união é naufrágio; o exército sem união é despojo. Até o homem (cuja vida consiste na união da alma e corpo) com união é homem; sem união é cadáver.”


Geraldo Ribeiro da Fonseca MM. Centenária Loja Maçônica Regeneração Barbacenense Barbacena - MG

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares