Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

quarta-feira, 20 de abril de 2016

O MISTÉRIO DO SILÊNCIO



Você já teve a sensação de estar em uma rua e sem querer se perguntar que já conhece aquele lugar, mesmo sem nunca ter passado?

Ou olhar para uma pessoa e por mais que lhe apresentem, você ter a certeza que já a conhece e pior, ter pela pessoa a mesma impressão?

Eu diria que são nossas lembranças de vidas anteriores e que ainda estão escondidas lá nos fundos da memória, em alguma curva do desconhecido. 

Contudo, para os cientistas, esta sensação acende em nosso cérebro por ser uma informação de nosso antecessor, inserido em um traço de um dos nossos cromossomos e que se instala  em nosso DNA, gerando assim, diversas informações.

Na verdade, o ser humano é uma caixa de surpresa, caminha muitas das vezes em filas indianas, sem saber o porquê está caminhando e em maior parte, sem direção. É como se ele mesmo perguntasse sem respostas: “Para que lado  vou?” 

Instaurado o conflito entre a pessoa e seu próprio Eu, quem ganha espaço é o mistério do silêncio que se mantém intacto, parado como um espectador, observando cada passo, cada ato, cada gesto e sem ser incomodado.

Nos Templos Maçônicos, o exercício do despertar é constante e os nossos testes não são para que os olhos vejam e sim o que os corações sentem. Para nós que acreditamos na vida pós-morte e fortalecidos pelos ensinamentos que recebemos, o mistério do silêncio deixa de existir, passando a ser um companheiro constante em nossas meditações, uma prática para melhor responder ao nosso próximo, na confiança da nossa tranquilidade interior.

Para nós, iniciados nas fileiras do Grande Templo, que após acordarmos para uma vida melhor e em comunhão, principalmente com nós mesmos, este mistério do silêncio passa a ter nome, idade e tamanho e sem se preocupar com cientistas, materialistas, enfim, com todos aqueles que dormem na dúvida e acordam sem acreditar, que mesmo vendo uma natureza perfeita e que não saiu de nenhum cromossomo, com uma diversidade alucinante de bela e sem a composição de nenhum DNA e mesmo assim, eles os “grandes”  em tudo, batem na tecla da dúvida, enviando equipamentos para o espaço na tentativa de encontrar os fundos da casa de nosso Mestre.

Para nós Maçons, não existe o acaso da rua ou da pessoa que nunca vimos, até porque, temos a certeza que vimos e tudo isto e o que iremos alcançar com os nossos aprendizados, serão visões mais amplas para inserirmos em nossas bagagens. 


Yrapoan Machado
Obreiro da Cavaleiros do Templo nº 26

2 comentários:

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares