Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

quinta-feira, 7 de março de 2013

A SALA DOS PASSOS PERDIDOS E O ÁTRIO




No edifício Maçônico, o Templo situa-se na parte mais interna e vem separado da Sala dos Passos Perdidos pelo Átrio.

A denominação da Sala dos Passos Perdidos é poética; significa o mundo em que a humanidade transita sem rumo certo, porque, se a vida é apenas uma fase passageira, raramente o homem planeja com acerto a trajetória que deve seguir nos anos que lhe são determinados pela vontade Superior.

A Sala dos Passos Perdidos é a continuidade do espaço profano, em que subsiste a promiscuidade e perdura a individualidade.

Não há qualquer seleção de cargos ou graus; todos são Maçons, todos são iguais.

É hábito o Maçom chegar à sua Loja um pouco antes do horário previsto para o início dos trabalhos.

Esse lapso é necessário para a “descarga” das pressões, para “purgação” dos efeitos resultantes da promiscuidade do mundo e para a “limpeza” da área espiritual.

Pelo fato da Sala dos Passos Perdidos preceder o Átrio, ela mantém a energia necessária para que os ímpetos profanos se amenizem, a fim de preparar a mente para o ingresso no Átrio.

Não é aconselhável a circulação na Sala dos Passos Perdidos dos Maçons já vestidos com suas insígnias, cada qual com seu respectivo grau, pois as vibrações emanadas das insígnias, dos adornos, do Avental, do balandrau diferem uma das outras gerando confusões e conflitos.

No templo de Salomão, esse espaço se situava ao ar livre, limitado por muros protetores.

Infelizmente, encontramos muitas lojas acanhadamente construídas sem o planejamento da Sala dos Passos perdidos e do Átrio. Evidentemente, a falha refletirá, bastante, no êxito dos trabalhos e na preparação dos Maçons.

O Maçom ao entrar no Templo, dirigirá com segurança os seus passos, não se perderá. No entanto, se não passar pelo Átrio vindo da sala dos Passos perdidos, ele transformará o seu trajeto dentro do Templo, seus passos se perderão. Na Maçonaria tudo tem razão de ser para existir!

O Mestre de Cerimônias, ao aproximar-se a hora para o início dos trabalhos, conduzirá os irmãos ao preparo adequado para o ingresso no Átrio. Chega o momento em que se deve cessar o murmúrio.

Lentamente, um após o outro, os Maçons buscam a porta do Átrio e, silenciosamente se preparam colocando o seu balandrau, quando é o caso, seu avental, seus adornos e joias e permanecem na expectativa do ingresso do Venerável Mestre.

O que se entende por Átrio? No grande Templo de Salomão era o vestíbulo no qual se encontravam as duas Colunas: B e J.

Sabemos que o Maçom tem plena certeza da existência de dois Templos: Um Templo Material que é a sua Loja e o outro Templo, o Espiritual que se encontra dentro de cada um. É na mente que nós preparamos o trabalho espiritual. Essa é a parte exotérica maçônica.

O que faz o Maçom no Átrio? Ele se prepara para ingressar no Templo.

Por que esse preparo? Porque não se pode entrar no Templo sem uma prévia preparação.

O Maçom que passa pelo Átrio sem se preparar, não estará ingressando no Templo, mas apenas passando pela porta que o conduz ao recinto sagrado. Dentro do Templo, ele não fará parte da Egregora, será apenas “uma presença amorfa e neutra”, ninguém tomará conhecimento dessa presença, porque dela não emanam vibrações e fluidos. Portanto, nenhum Maçom deve ignorar o modo como se preparar no Átrio.

A preparação é mental, embora o pensamento possa ser induzido por intermédio de luminosidade adequada, de som apropriado, do perfume do incenso.

Após minutos de meditação, silenciosamente, em fila dupla, os Maçons ingressam “em si mesmo”, dirigindo os seus passos aos seus lugares.

Jorge Henrique Simões Porto
MM – ARLS Cedros do Líbano 1688 – GOB-RJ
Bibliografia: O Mestrado Maçônico – Rizzardo da Camino

NR: Jesus falava para os ouvidos que eram capazes de entendê-lo.


  

5 comentários:

  1. Meus irmãos. Obrigado pelos ensinamentos.
    Creio que a preparação na sala dos passos perdidos seja, como bem explicado, a preparação interna, espiritual, para a adentrada ao templo. Preparação esta na formação da escada de Jacó, começando pela base da coluna vertebral e fazendo com que as vidrações, energias, sintam-se preparadas para a ascensão, em condições de subir até o último chacra no topo da cabeça.
    Evidentemente este caminho é solitário, individual por isso quanto mais preparado o irmão se dispuser, melhor será a sua trajetória. A iluminação não pode ocorrer gratuitamente, ela deve ser acompanhada da régua, da persistência e na correção que o malho e o cinzel golpeiam as imperfeições pois o estado atingido, requer a comunhão com o todo e portanto requer perfeição da Arte Real.
    Estou certo meus irmãos? ou cometi algum erro ou engano neste comentário?
    Críticas e sugestões serão muito bem vindas.
    Airton Sandri Comp. M. da ARLS Luzes da Reflexão nº 580 GLESP SBC SP
    e-mail ito.virtual@uol.com.br

    ResponderExcluir
  2. TFA muito bom o trabalho ajudou-me nesta seara.

    SFU carlos Pilares Ante Diluvianos Or.: Itaquaquecetuba.: GOB GOSP

    ResponderExcluir
  3. Excelente trabalho. A constante aprendizagem faz parte de nosso aprimoramento interno e espiritual.

    ResponderExcluir
  4. Excelente trabalho!
    Me esclareceu a diferença entre átrio e Sala dos passos perdidos.

    ResponderExcluir
  5. Excelente trabalho meu ir., estou preparando um trabalho para apresentar na minha ARJS acácia Ubatense, nº 83, me ajudou muito.
    Um T.F.A. aos IIr., de todos os cantos deste planeta.

    ResponderExcluir

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares