Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

A GRANDE LOJA DOS “ANTIGOS” NA INGLATERRA



Já foi esclarecido anteriormente que, além da Primeira Grande Loja de Londres, houve outras e a mais importante, a grande rival, foi a dos “Antigos” fundada por um irlandês, pintor de paredes, de sobrenome Dermott. Sabemos também que em 1813 elas se uniram, dando origem a Grande Loja Unida Inglaterra.

Em minha opinião, o nome deveria ser “Tradicionalistas” em vez de “Antigos”, pois pretendiam como veremos abaixo, manter, de maneira extremamente rígida, as antigas tradições maçônicas e apelidaram de modo pejorativo, os membros da Primeira Grande Loja, de 1717, de avançados, modernos.

Os membros das Lojas dos Antigos, até recentemente eram chamados de “separatistas”, mas investigações têm mostrado que nenhum dos fundadores pertenceu a qualquer uma das Lojas aderentes a Primeira Grande Loja. Portanto, esse termo “separatistas” parece não ser aplicado, no caso.

Eles eram, na maioria, Irlandeses residentes em Londres. Isso nos permite pensar e concluir que tenha ocorrido um racismo, muito comum na época, por parte dos ingleses formadores da Primeira Grande Loja.

As causas da separação foram enraizadas principalmente na negligência e na débil administração da Primeira Grande Loja naquele tempo e, principalmente, em certas mudanças nos costumes e na Ritualística, as quais foram feitas deliberadamente com o propósito de excluir impostores e oportunistas na Ordem, devido publicação do livro “A Maçonaria Dissecada” de Samuel Prichard.

Vamos citar abaixo, algumas prováveis mudanças que provavelmente colaboraram na referida separação:

· A descristianização da Franco-maçonaria desde os primórdios, em 1723, quando foi feito o livro das “Constituições” pelo reverendo Anderson.

· Desleixo referente aos dias de São João Batista e São João Evangelista, como festivais especiais Maçônicos.

· A mudança dos modos de reconhecimento no Grau de Aprendiz e no Grau de Companheiro. Esta era, aparentemente, a principal causa ofensiva.

· Abandono de partes esotéricas na Instalação de Mestres.

· Negligências referente ao Catecismo, ligadas a cada Grau.


Felizmente, em 1813, após anos de preparação e acertos, as duas grandes Lojas se uniram e deram ao mundo maçônico a Grande Loja Unida da Inglaterra, Potência Mor das Obediências Maçônicas.


M.'.I.'. Alfério Di Giaimo Neto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares