Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

domingo, 5 de janeiro de 2014

MAÇO, MALHETE E MALHO



Os três são instrumentos usados por escultores, carpinteiros, encadernadores, calceteiros e... maçons. Porém, estruturalmente e simbolicamente, são diferentes.

Maço e Malhete (são quase iguais, diferenciados apenas pelo tamanho) nada mais são que um martelo de madeira usado pelas Luzes para gerar SOM, afinal, uma batida é a origem da VIBRAÇÃO que desperta a percepção do momento físico e extra-sensorial. As batidas dos graus nas sessões econômicas e na consagração dos graus têm a função de eqüidade.

Digamos que atuam como uma “equação sonora”, ou seja, é uma fórmula (bat.·.do Ven.·. + bat.·. do 1º Vig.·. + bat.·. do 2º Vig.·. = .....) para que haja igualdade entre grandezas dependentes umas das outras. Ao usarem os Malhetes nas Sessões Econômicas, as LLuz.·. convocam pelas batidas (todos, no Oriente, na Col.·. do Sul e na Col.·. do Norte) a estarem em sintonia com os trabalhos desenvolvidos na reunião.

Já nas Sessões Magnas, na hora da Sagração, somente o Malhete do Venerável é capaz de colocar o Iniciando em igualdade de valor (Grau) com os demais presentes. 

Demonstrando que este objeto é um símbolo de poder. Sempre que estiver presente o Grão-Mestre nos trabalhos de uma Oficina, deve o Venerável Mestre, oferecer-lhe o Malhete, para que o mesmo conduza os trabalhos.

Em época remota, era regra que estando presente em Loja Simbólica um Irmão de determinado Grau Superior (R.·.E.·.A.·.A.·.), tinha ele a prerrogativa de comandar a sessão. Com a separação da administração das Lojas Simbólicas dos Corpos Superiores, a regra perdeu o valor. O Malho, por sua vez, é um instrumento que deve ser usado por todos os IIr.·., não apenas pelo Aprendiz.

Afinal, todos nós trabalhamos continuamente em “desbastar as arestas”. Possui a forma de dois cilindros; um fino, que é o cabo, e o outro, mais largo, (pode ser também coniforme) que é o corpo.

Diferente do Malhete, o Malho pode ser de ferro, por uma questão lógica, afinal,é com ele e o Cinzel que desbastamos uma pedra bruta. Com um malho de madeira, nunca se obteria o resultado esperado. Sua forma simples tem um significado prático.

Não tendo lado, de qualquer maneira que você o pegar, ele estará pronto para o trabalho. Por conta disso é que costumam dizer que ele é um instrumento de força. No sentido figurado, malho designa pessoa hábil e destra.

O Malho é a extensão e a potencialização do desejo de transformação; primeiro (pela força) ao dar forma a um objeto “bruto”, para depois, transformá-lo em algo mais bonito, e em terceiro grau (sabiamente), transformar continuamente o objeto ou nós mesmos, em algo sempre útil.

“Malhete” também significa uma forma de encaixe de peças de madeira (ver imagem no final); provavelmente todos já viram uma caixa ou móvel feito sem pregos. As peças se completam por meio de uma estrutura de encaixes.

Penso que é assim que deveria ser uma Loja Maçônica, todos com seus altos e baixos procurando os baixos e altos dos outros Irmãos, para se completarem naturalmente, sem a necessidade do “prego da obrigação”, apenas usando o “encaixe da doação”.

Extraído da Revista Palavra Maçônica




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares