Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

domingo, 5 de abril de 2015

MAÇONARIA: MITOS DA IGNORÂNCIA 2


(Este artigo relata a opinião de uma evangélica a respeito da Maçonaria)


A falta de conhecimento e de disposição para buscar os fundamentos de determinados fatos fazem com que muitas pessoas se deixem influenciar por opiniões completamente deturpadas à cerca desses fatos.

É o que acontece em relação à maçonaria. Algumas religiões não aprovam os princípios maçônicos e alegam, inclusive, que a maçonaria é de origem satânica, e que os maçons pertencem ao demônio.

Infelizmente muitos cristãos fazem coro com isso, pregando a mesma coisa, distribuindo materiais suspeitos com declarações suspeitas, promovendo com isso a intolerância e a desinformação.

Não vou aqui falar sobre os fundamentos da maçonaria, pois qualquer um pode acessar o Google e conhecer essa história. Mas tenho ouvido tantos absurdos serem disseminados que resolvi escrever este artigo.

Estou ciente de que, como membro de uma igreja evangélica, corro o risco de ser rotulada de seguidora do demo, mas resolvi pagar o ônus pelo que aqui vou expor.

Não entendo que a maçonaria seja uma sociedade secreta, pois tem loja em local conhecido de todos e não oculta sua existência. O tal segredo está nas cerimônias empregadas na admissão dos seus membros e os meios usados pelos maçons para se conhecerem. É aqui que a imaginação é prodigiosa.

No Brasil, o início da maçonaria se deu em 1822, sendo D.Pedro I o seu primeiro grão mestre. 

Pessoas vindas dos Estados Unidos que se estabeleceram em Santa Bárbara-SP, fundaram em 10 de setembro de 1871 a Igreja Batista de Santa Bárbara, a primeira Igreja Batista estabelecida em solo brasileiro, com o Pastor Richard Ratcliff.

Na mesma localidade, em 1874, foi fundada a loja maçônica George Whasington, e pelo menos cinco fundadores da loja também foram fundadores da Primeira Igreja, entre eles o Pastor Robert Porter Thomas.

O Pastor Thomas foi interino por diversas vezes tanto na Primeira Igreja quanto na Igreja da Estação (Segunda), fundada em 02 de novembro de 1879. Seu pastorado nas duas igrejas durou cerca de 25 anos de profícuo trabalho. 

O primeiro pastor batista brasileiro, Antonio Teixeira de Albuquerque, foi batizado pelo Pr.Thomas, que era maçom, e consagrado ao Ministério da Palavra no salão da loja maçônica. 

O missionário Salomão Luiz Ginsburg, maçom, membro de diversas lojas maçônicas na Bahia, Pernambuco, Rio e Espírito Santo, editor do Cantor Cristão, fundou a Primeira Igreja Batista na cidade de São Fidelis-RJ e, em 1902, o Seminário Teológico Batista do Norte.

Pastor José Souza Marques, presidente da Convenção Batista Carioca e da Convenção Batista Brasileira, cujos frutos todos conhecem, exerceu diversos cargos na maçonaria e foi, por muito tempo, presidente do supremo tribunal de justiça maçônica. 

Em Marataízes, vou citar o nome de dois maçons que conheci ainda criança e que posso testemunhar do incansável trabalho de divulgar o Evangelho de Jesus: Demétrio Machado, farmacêutico que residia próximo a minha casa, e o Reverendo José Gomes Coelho, da Primeira Igreja Presbiteriana da Barra, de quem por várias vezes ouvi da Palavra.

Foram homens que deixaram um legado incontestável de serviço e obediência aos ensinamentos de Deus. Alguém que os tenha conhecido, em sã consciência, pode contestar o que aqui estou falando?

Portanto, quando ouvir historinhas que maçom corta a cabeça de bode e bebe o sangue, que usam uma capa preta ou uma armadura de metal para duelar com o capeta, procure, no mínimo, informar-se melhor. Você pode ou não ser maçom, a escolha é sua.

O que você não pode é sucumbir a declarações de pessoas que nada conhecem ou que se deixam impregnar por opiniões alheias. 

E lembre-se: Nem todo aquele que diz Senhor, Senhor, entrará no reino dos céus.


Livros que foram pesquisados para este texto:- A História dos Batistas no Brasil - JUERP
- A Maçonaria e a Igreja Cristã - Carlos Eduardo Pereira
- História dos Batistas Fluminenses- Ebenezer Soares Ferreira
- Um Judeu Errante no Brasil- Salomão Luiz Ginsburg - por Ivilisi Soares de Azevedo
Psicóloga, com formação em dependência química, ambientalista, atual presidente da ACB (Associação Cristã Beneficente) e articulista de diversos jornais do sul do Estado
Artigo publicado no 
Portal do Jornal Maratiba - ES  


Colaboração do Ir.'. Lauro Lustosa Vieira- ARLS Loja Abrigo do Cedro nº 8
Jurisdicionada a M R Grande Loja Maçônica do Distrito Federal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares