Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

domingo, 26 de abril de 2015

O QUE HAVERÁ APÓS A CURVA


Companheiros, no grau de MEM. Poderemos explorar sobre a morte física e a transição posterior, conforme nos é ensinado, quando encontramos o trono do segundo vigilante vazio e em luto, devido a morte física do nosso Grão Mestre Hiram, pois conforme nos é ensinado no grau II, “estamos sempre viajando sobre o nível do tempo, com destino àquela terra não descoberta de cujos limites, viajante jamais retorna.''

Heráclito afirmou que homem algum irá se banhar duas vezes no mesmo rio, portanto o viajante aportado em terras desconhecidas, jamais irá retornar do mesmo modo quando chegou.

‘’Você está falando uma língua que não compreende, usando um dinheiro que não sabe o valor, caminhando por ruas que nunca passou antes.

Você sabe que seu eu antigo, como tudo que apreendeu é absolutamente inútil diante destes novos desafios – e começa a descobrir que, enterrado lá no fundo do eu inconsciente, existe alguém muito mais interessante, aventureiro, aberto para o mundo e para experiências novas. Viajar é a experiência de deixar de ser quem você se esforça para ser e se transformar naquilo que você é.’’

Fernando Pessoa disse que "Morrer é apenas não ser visto. Morrer é a curva da estrada. "Partindo dessa ótica, concluímos que a matéria não será mais visível, pois fora devolvida a terra a sua mãe, mas o que haverá após a curva?

Plotino disse que “Morrer é mudar de corpo como os atores mudam de roupa." "Quando morremos, deixamos atrás de nós tudo o que possuímos e levamos tudo o que somos."

Interessante citar a definição de Hermes no que consiste a morte do corpo: “A alma do Homem se faz veicular da seguinte maneira: o intelecto situa-se na razão discursiva; a razão na alma, a alma no sopro; o sopro, enfim, circulando através das veias e artérias pelo sangue, coloca em movimento o Ser Vivente, e de certa forma podemos dizer que o conduz.

Esta é a razão pela qual, alguns pensam que a alma é o sangue, embora se enganem sobre sua natureza. Não sabem que é preciso que o sopro se retire do corpo, e a seguir para que o sangue se coagule, e então que as veias e artérias tenham ficado vazias, para que o Ser Vivente pereça. É nisto que consiste a morte do corpo.

Pessoas que viveram EQM (experiência quase morte) relataram a visão de um túnel, a alma pairando sobre o corpo, uma luz brilhante, encontro com familiares e paz total. 

Como leigo e um aprendiz nos estudos e entendimentos judaicos, faço uso dos ensinamentos da Tora, para uma abrangência maior aos nossos estudos:

"Durante três dias após o falecimento, a alma paira por cima do corpo, pensando que irá retornar a ele." (Talmud Yerushalmi Moed Catan 3:5, Yevamot 16:3)

"Durante os sete dias a alma vai e vem entre a casa e a sepultura." (Zôhar Vaychi 218b, 226a)

"Quando a alma parte deste mundo, ela sobe pela Caverna da Machpelá, já que lá é o portal do paraíso." (Zôhar Vayechi 219 - 250)

"Rabi Dossa diz: está escrito (Shemot 33:20) ‘... pois não poderá ver-Me o homem, e viver', na vida eles não enxergam, porém na morte sim." (Midrash Bamidbar Rabá Nasso)

"A alma tem uma grande dificuldade em se separar do corpo, e o ser humano não falece até que enxergue a Luz Divida, e em razão da ânsia por esta visão, a alma sai para receber a face.”
 
"Quando um justo falece... D'us fala para eles: 'Venham justos para recepcioná-lo', e eles falam para o falecido: 'Venha com paz. '" (Talmud Ketuvot 104)

"Quando um ser humano falece, ele recebe permissão de enxergar, e ele vê seus colegas e parentes do Mundo Acima e os reconhece; eles estão com a mesma aparência que estavam neste mundo. E se tiver o mérito, todos se mostram felizes perante ele... e o acompanham." (Zôhar Vaychi 218b)

O Talmud (Berachot 28) relata que quando Rabi Yochanan estava falecendo disse: "Preparem uma cadeira para Chizkiyahu, rei de Yehudá, que veio me acompanhar".

"Quando o homem falece, todos seus atos são detalhados perante ele, e lhe falam: 'Assim fizeste no dia tal, e certamente você poderá conferir.' Ele responde: 'Certamente.'" (Sifri Haazinu)

"Reconheça o que existe acima de você: um Olho que vê, um Ouvido que escuta, e todos seus atos estão registrados em um Livro." (Ética dos Pais, 2:1)

"Tudo que é dito perante o defunto, ele sabe, até tamparem a cova." (Talmud Shabat 152b)

"Disse Rav para Rabi Shemuel bar Shilat: 'Capriche no meu elogio fúnebre, já que estarei presente lá ouvindo suas palavras." (Talmud Shabat 153a)

"Para Deus tudo é belo e bom e justo; os homens, contudo, julgam umas coisas injustas e outras justas."

Ven.'. I.'. Paulo Santos
 


Supremo Conselho do Grau 33 do R.E.A.A., ARLS Verdadeiros Amigos 3902, GOSP/GOB, Brasil


BIBLIOGRAFIA:

REVISTA DIARIO DEZ DE 12 A 18 DE DEZEMBRO DE 2010
LIVRO SAGRADO – TORA
RITUAL DO LEGITIMO RY

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares