Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

domingo, 9 de agosto de 2015

A NOBRE MISSÃO DE MAÇOM



Muitos ideais vicejam pelo mundo. Entre eles brilha o de ser Maçom, de pertencer a esta Sublime Ordem. 

A Maçonaria tem como alvo as mais elevadas aspirações destacando-se o amor, através de atitudes fraternais, como alimento da alma humana. O desejo máximo de todo o Maçom é transformar a fraternidade em felicidade. 

Ser Maçom é servir, é viver, é conviver com os outros. Para ser fraterno é preciso conhecer e amparar o outro, no lugar e na situação de necessidade em que ele esteja. 

A missão do Maçom resume-se numa palavra de entendimento, num gesto de acolhimento para o bem dos outros. Este gesto pode ser um olhar generoso, uma prece singela, um abraço fraterno, um aperto de mãos. Destas atitudes depende a missão do Maçom e o êxito do seu trabalho. 

A Maçonaria sempre foi praticada por pedreiros livres quer de ofício,  quer os aceitos; sua doutrina expressa no máximo de liberdade, na busca da verdade e os poderes humanos para impulsionar homens livres e de bons costumes em direção ao bem fazer. 

O Maçom está revestido de um ideal que exalta a cultura, com o objetivo de favorecer a educação de todos e avançar na realização dos ideais humanitários. 

O Maçom é consciente de que o martelo e buril, ou seja, o malhete e o cinzel são elementos que não só aperfeiçoam a pedra, mas, principalmente, aparam o caráter, para o Maçom trabalhar para o aprimoramento da alma do homem, que é o maior bem que o homem pode colher dos pedregulhos da terra.

Todo o trabalho, por menor que seja, é nobre e toda a renúncia é elevação e todo o gesto fraterno é consolidar a verdade. 

A Maçonaria nasceu nos séculos em que a humanidade só conheceu acúleos e estradas marginadas com espinhos, o solo calcinado pelos ardores de uma atmosfera inculta e selvagem e varada de dores acerbas.

O Maçom surgiu cultivando sentimentos avançados tendentes a eliminação da ignorância, prepotência, fanatismo e superstição.

O Maçom vive preocupado com o que deve fazer jamais com o que pensam os outros, porque sabe manter, no meio da comunidade, uma perfeita serenidade, uma independência em seus atos, prefere sempre a nobre missão de Maçom, a dignidade ao orgulho. Sua missão é ser humilde em casa, respeitoso no trabalho e leal para com todos.

A missão do Maçom é saber viver em sintonia com o bem comum, por ser a verdade mais bela que edifica o edifício da fraternidade que se constrói com a felicidade. Felicidade não está em viver, mas em saber viver.

Não vive mais o que mais vive, mas o que melhor vive. A vida não mede o tempo, mas o que dela fazem. A missão do Maçom é ampliar as relações que promovem a solidariedade, a justiça e o bem.

Sabemos que quem pratica o bem coloca em movimento a força da alma. Todo o Maçom sabe que as facilidades nos impedem de caminhar e que as dificuldades e as críticas nos auxiliam a andar e a progredir nas sendas da virtude.

O Maçom que acredita na sua missão tem a certeza de que haverá deveres e obrigações a serem cumpridos. Esforça-se ainda mais para ser fiel aos compromissos que assumiu com o juramento iniciático. 

O Maçom que acredita na sua missão sabe que há uma diferença entre seu comportamento como Maçom e a de um profano. Esta diferença nasce de pertencer a uma Instituição que traz em sua bandeira a fraternidade, onde busca constante aprimoramento em suas atitudes, ações e palavras e cultiva em seu íntimo o papel de trabalhar para o bem da humanidade. 

O Maçom que acredita em sua missão reconhece os demais como seus Irmãos e, unido a eles, pratica a solidariedade em todas as ocasiões e a beneficência, cada vez que aparece uma oportunidade. 

O Maçom que acredita em sua missão sabe que na Ordem Maçônica se convive em Loja e que uma permuta, uma troca de virtudes, estimulam o interior espiritual e que nenhuma falha venha de encontro aos princípios que fizeram da Ordem uma Instituição universalmente reconhecida e que tem credibilidade universal. 

Poderíamos continuar a escrever sobre a missão do Maçom, mas estamos conscientes que não podemos ficar de braços cruzados diante de nossos deveres, que denominamos de RESPONSABILIDADE SOCIAL.

Ivo Reinaldo Christ (ARCBLM THEODÓRICA, Nº 154 – Oriente de Pequeri – Minas Gerais)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares