Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

MINHA HISTÓRIA NA MAÇONARIA

       
        Pertencendo a uma família de Maçons onde a maioria de meus tios e alguns primos pertenciam a Ordem e, sendo neto de um exemplo de integridade moral chamado Edgard Mello, também Maçom, vim desde pequeno, acalentando a vontade de um dia ingressar na Maçonaria.

          Mas como isso um dia poderia se realizar. Morando no Rio de Janeiro e toda a minha família paterna em Minas Gerais!

          Em 1987 uma oportunidade surgiu! Soube da posse da Administração da ARLS União, Ordem e Progresso em Campo Grande/RJ. Conversando com a pessoa que iria assumir a Loja, manifestei a minha vontade de ingressar na Ordem.

           Confesso que sua resposta não me agradou muito: “Como estou assumindo agora não posso indicar ninguém, vou lhe dar um convite para a posse, se lá tiver alguém que lhe conheça, ele o indicará!”.

            No dia da posse, vesti o meu melhor terno e lá fui eu cheio de esperança!

            Para minha surpresa, lá dei de cara com várias pessoas conhecidas e, até aqueles que me conheciam desde pequeno. Fiquei no meu canto curtindo toda aquela cerimônia, muito linda por sinal! Jamais havia ingressado em um Templo Maçônico. As espadas, os aventais e a decoração interna do local me deixaram maravilhado.

             Naquela época eu era professor universitário, e logo ao chegar a faculdade, tinha um aluno do curso de Economia me esperando.

             Ele falou: ”Paulo há muito tempo queria lhe convidar para a Ordem, porém não sabia qual seria a sua reação, você quer?”. 

             Claro! Foi a resposta!

              Na mesma noite recebi um novo convite, dessa vez do chefe de pessoal da Faculdade.

              Recebi e preenchi a proposta de admissão e fiquei esperando a resposta.

              No dia 23 de novembro de 1988, chegou o grande e esperado dia, o da minha Iniciação. Confesso, mais uma vez que uma das melhores e mais lindas coisas que me aconteceram em minha vida!

               Era um sonho que se realizava!

               Em 10 de março de 1991, colava o grau de Mestre Maçom, em uma cerimônia que é capaz de marcar uma vida para sempre! 

                Levado pelas circunstâncias acabei tendo de assumir a Oratória da Loja, cargo que ocupei por dois mandatos consecutivos.

                 Na União, Ordem e Progresso ocupei, ainda, os cargos de 1° e 2° Vigilante.
                 Em 08 de junho de 2001 fui Instalado na Cadeira de Salomão após ser eleito Venerável Mestre para o biênio 2001/2003.

                 Por motivo de mudança de Oriente, após cumprir o meu mandato, solicitei o Quite Placet, que me foi concedido em 13/08/2003.

                  Nessa época já era filiado a ARLS Cedros do Líbano em Miguel Pereira/RJ, Loja essa que pertenço até os dias de hoje.

                   Através do Ato n° 7906 de abril de 2008, do Eminente Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil no Rio de Janeiro, fui nomeado Coordenador da 28ª Circunscrição do GOB/RJ, cargo que exerço até hoje.

                    Para completar o meu ciclo Maçônico, no dia 02 de dezembro de 2009, retornei a minha Loja Mãe, para colar o grau 33.

                    Durante esses quase 23 anos de Ordem, tenho buscado pautar com os rígidos Princípios que a Ordem recomenda. Durante todo esse período poucas foram as minhas faltas. Tido por alguns como um “Caxias”, por ser ferrenho defensor das Leis e Regulamentos e Rituais. 

                      Para aqueles que pretendem um dia ingressar na Ordem, ai vão uma dicas: 

                       Deveres de um Maçom: cultivar a harmonia no meio maçônico, principalmente nas sessões. Intensificar o conhecimento da liturgia, filosofia, simbologia, história e legislação maçônicas. Propagar sem reservas de lugares e de pessoas os ideais da Ordem; freqüentar as sessões da Oficina e cumprir os deveres impostos, nunca ocasionando reparos. 

                        Um Maçom deve ser educado, ativo, estudioso, verdadeiro e firme, e possuir espírito publico. Além disso, um Maçom deve ter capacidade civil, moral ilibada, sentimento cívico, e sobre tudo, conhecer os fins maçônicos e querer executá-los.

Paulo Edgar Melo
MI – Membro da ARLS Cedros do Líbano n° 1688
                                                         

Um comentário:

  1. Prezado senhor paulo, gostei muito da sua história na maçonaria. Confesso que tenho interesse em ingressar na loja, mas ainda sou iniciante no que se refere ao conhecimento. Gostaria de receber um e-mail do senhor para mantermos contato. meu e-mail narlon.sm@bol.com.br. obigado. NARLON CUNICO

    ResponderExcluir

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares