Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

HERMETISMO E RITUALÍSTICA

         
        
  Hermético é considerado tudo que é fechado ou restrito ao conhecimento de uns poucos ou, em nosso caso, aquilo que é vedado ao conhecimento do profano. Portanto, para a Maçonaria, hermetismo e esoterismo se equivalem. Hermetismo é doutrina ligado ao gnosticismo surgido no Egito no Século I e atribuído ao Deus Thot.,   Este era chamado pelos gregos de Hermes Trismegisto. Esoterismo também é doutrina que preconiza que o ensinamento da verdade seja ela científica, filosófica ou religiosa deve ser reservada a número restrito de iniciados, selecionados pela sua inteligência ou valor moral.

          Hermes, da mitologia grega (Mercúrio entre os romanos), era divindade agreste, adorada pelos pastores da Arcádia. Filho de Seus e de Maia, supunha-se haver nascido no monte Cilene. Criança ainda,. roubou os bois de Apolo e fabricou a primeira lira com a carcaça de uma tartaruga, presenteando-a a Apolo.

Entre muitos atributos, foi considerado deus do comércio, do ganho e da eloqüência. Tinha por insígnia o caduceu, bastão em torno do qual se enroscavam duas serpentes e trazia asas nas sandálias e no chapéu. O que foi dito de Hermes acima é lenda ou mito que se usava naquele tempo para representação, de forma objetiva, de algo em que acreditavam os povos antigos, de modo que o entendimento por outras pessoas se tornasse mais fácil, sobretudo quando essas lendas se relacionavam com as coisas do sobrenatural ou de crenças espiritualísticas.

          A Maçonaria adota, como tradição, dentro de seus templos, a instrução ritualística que, em seus três primeiros graus, contém duas lendas que são: A Construção do Templo do Rei Salomão e a Morte e Sepultamento de Hiram Abiff.

No livro Filosofia Hermética, de K. Barkel, Hermes é o nome que, segundo o descreve I-Em Hotep, foi dado pela posteridade ao Grande Mensageiro Divino e Instrutor Atlante que veio a Terra nos primórdios da humanidade.

Esse Grande Ser esforçou-se, através de todos os tempos, para permanecer em contato com os homens, ensinando-os de acordo com a sua receptividade e trazendo-lhes muita sabedoria. Na Câmara mais profunda da Grande Pirâmide encontra-se oculta, até hoje, Sua Tábua, onde está escrito tudo a respeito do homem e de sua evolução. No futuro essa Tábua será descoberta.

Este Grande Mensageiro Divino - Hermes - desde a alvorada dos tempos era conhecido sob vários nomes, tais como Set, Seb, Saturno, Seth e outros. Também era conhecido como Tefu, filho da Santa Mãe ou Virgem, divinamente concebido. Era, ainda, reverenciado pelos egípcios, sob a forma de um Deus de cabeça preta.

A estrela Sírius a Ele foi consagrada. Foi Ele quem ensinou ao homem a expressar seus prensamentos em forma escrita. É Ele também que lhe revela o passado e quem lhe dá a chave que abre a memória de todas as suas vidas anteriores. Faz isso, porém somente àquele que tem merecimento. Hermes era mestre de Moisés e foi Ele quem o inspirou e o conduziu através de todos os portais da Iniciação.

É no ensinamento de Moisés, portanto, que devemos procurar a mais pura concepção simbólica da Verdade. Muitos de nós estamos acostumados a ver na serpente o símbolo do mal. Mas, já que estamos falando de Hermes, vamos acrescentar algo mais sobre seu símbolo o caduceu. Consiste de uma vara que tem ao seu redor duas serpentes enroladas, uma negra e outra branca.

No cimo, duas asas abertas completam-no. Ouviste falar também que este símbolo está ligado a Mercúrio.   Mas, desde o início dos tempos, este símbolo significava algo de muito grande e maravilhoso. A vara simbolizava a descida dos Rádios Solares, a Emanação do Pai tocando a Terra. Desta ergue-se, então, a serpente negra - A Força Mãe - a Matéria Virgem, a Essência da Terra. Ao lado da serpente negra levanta-se a serpente branca - A Força Crística - que emana da união das duas Forças Divinas. A força serpentina branca, no ser humano, é Kundalini, que vai sendo vivificada à medida que a compreensão espirituall aumenta.

A Virgem Mãe oferece tudo que possui: a matéria, os frutos da terra, a beleza, o calor. A Radiação Espiritual ilumina a mente do homem, permitindo que a Força Crística desperte em seu coração e que ele realize seus dons divinos. Na linguagem simbólica do Caduceu as cabeças das serpentes erguem-se, então, sempre mais alto e, em cima, as asas se abrem. O Espírito Santo, o Inspirador e Regenerador paira sobre as Três Emanações, tornando possível a manifestação de Deus no ser humano enquanto encarnado na Terra.

          Portanto, a Filosofia Hermética é a Verdade oculta sob formas simbólicas; nada é mau. A luz existe na escuridão. O homem é quem estabelece seus próprios limites. Se ele estender as suas mãos e pedir, tudo lhe será dado. Ele precisa apenas aplicar o ensinamento divino para compreender que tudo é AMOR e BELEZA.

RITUALÍSTICA

          O Mestre Jesus, ainda segundo I-Em-Hotep, foi o maior mago e o maior ritualista que o mundo já conheceu. O seu amor pelo ritual Ele o teria trazido de várias escolas por onde passou. É bom recordar que a história de Jesus que nós conhecemos é aquela, muito curta, de que Ele tinha cerca de 30 anos.

Ninguém sabe o que lhe aconteceu antes. Voltando à ritualística, a própria crucificação de Cristo se reveste de um significado muito profundo. A Bíblia nos revela que Jesus usava uma túnica feita de um único pedaço de pano, sem costuras. Esse era o tipo de túnica usado por todos os Adeptos, Sacerdotes e Instrutores e simbolizava a aura que os protegia. Na crucificação do Mestre, Ele foi despojado de sua túnica. Isso quer dizer que seu círculo de proteção foi rompido e as forças que Ele combatia O assaltaram, vencendo sua resistência. Portanto, aqueles a quem, Jesus viera servir O destruíram.

A taça que lhe apresentaram, a coroa de espinhos posta em Sua cabeça, e a espada com que transpassaram o Seu corpo, o fel e o vinagre eu lhe deram para beber, tudo   isso são ingredientes ritualísticos de um conhecimento hermético, para cuja compreensão é mister que se estude profundamente. A ritualística maçônica é rica em símbolos, alegorias, palavras e sinais, cada um deles encerrando preciosas lições que só aos iniciados é dado conhecer.

Trabalho do Ir:. Carlos Veríssimo dos Santos,
filiado a Loja Três Poderes n° 2308, CIM: 140.822

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares