Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O TELHAMENTO


O Telhamento é um ato de examinar um Irmão desconhecido para certificar-se de sua condição de maçom e sua regularidade.

É incorreta a expressão “Trolhamento”, visto que toda obra é protegida da intempéries do mundo exterior pelas telhas (ou pelo telhado). Trolhar é passar a Trolha (colher de pedreiro), termo mais adequado a um caso de desentendimento entre Irmãos, com o significado de remover as arestas, espalhando e nivelando a massa, pois se usa a Trolha para espalhar a massa sobre a qual a pedra será acomodada. Portanto erguemos o edifício com a ajuda da Trolha, mas na hora de protegê-lo das intempéries é com a telha que o cobrimos, ou seja, que a protegemos.

            José Castellani diz o seguinte a respeito do uso equivocado do termo “Trolhamento”.

O termo, um neologismo maçônico, existe, mas é usado de maneira incorreta, para designar o exame de alguém, através dos Toques, Sinais e Palavras, para aquilatar a sua qualidade maçônica e o seu lugar na escala iniciática. Na realidade, esse exame, que é uma cobertura contra fraudes, e realizado portanto pelo Cobridor é, com mais propriedade, denominado TELHAMENTO, pois cobertura se faz com telhas e não com trolhas. Tanto que muitas vezes o Cobridor Externo é chamado de Telhador; como ocorre nos países de fala inglesa (Tyler, de tile = telha), de fala francesa (Tulleur, de tuile = telha), de fala italiana (Tegolatore, de tegola = telha) e assim por diante. Trolhar, por sua vez, significa outra coisa: como a trolha é a desempenadeira, ou desempoladeira, destinada a aparar as rugosidades, da argamassa espalhada pelo pedreiro, o trolhamento é o apaziguamento de Obreiros em litígio, ou seja: é, figuradamente, o alisamento das arestas, das rugosidades que são as divergências existentes entre aqueles que se pretende colocar em paz.

            Simbolicamente, portanto, é mais adequado Telharmos o candidato para nos protegermos de um eventual intruso e nos certificarmos que se trata de um “bom, legitimo e fiel” Irmão, apto a entrar no Templo, lugar em que a Loja se reúne!

Esta é a opinião defendida pelos grandes simbolistas, que buscaram a origem da função e terminologia usada no período Operativo para fundamentar sua tese, o que tem levado as Potências do Brasil sensatamente a atualizarem-se.

Telhamento, portanto, é a forma ritualística constituída por perguntas e respostas, para comprovar o grau e a qualidade de Maçom de quem solicite ingresso no Templo, não sendo membro da Ordem.

            O termo é usado, também, para experimentar membros do quadro que postulem Aumento de Salário, oportunidade em que, além do Cobridor de Grau, o postulante é inquirido sobre o conhecimento que assimilou no Grau.

Ø Telhamento; É a forma ritualística constituída por perguntas e respostas, pela qual podemos comprovar o grau e a qualidade de Maçom de um Irmão visitante desconhecido, servindo para “verificar se o Maç.´. é um bom, legitimo e fiel Ir.´.”, e este Irmão deverá ter as respostas respondidas na integra e em memória.

Ø Trolhar (Colher de Pedreiro); É passar a Trolha, tirar as arestas, apaziguar os ânimos quando ele está exaltado entre os Irmãos ou em qualquer outro lugar. Nada tendo a ver com Telhar, Cobrir, Examinar.


A.´.R.´.G.´.B.´.L.´.S.´. Justiça nº 12 – Rito REAA – Oriente de Maringá
A.´.R.´.L.´.S.´. Frederico Chalbaud Biscaia nº 119 – Rito Francês – Oriente de Maringá

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares