Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

sábado, 14 de janeiro de 2012

PORTUGAL: IGREJA REJEITA MAÇONARIA



"Não é compatível" ser maçom e católico, diz o cardeal patriarca de Lisboa. O "parecer negativo" dado pela Igreja à Maçonaria é "imutável", afirma o Vaticano.

Não terá sido a última voz a levantar-se sobre a questão da Maçonaria, mas foi, talvez, das mais surpreendentes: D. José Policarpo aproveitou a conferência de Imprensa do Conselho Permanente da Conferência Episcopal para colocar os pontos nos is e afirmar peremptoriamente que "não é compatível ser católico e maçom", porque a Maçonaria "rejeita aquilo que é essencial da fé, a aceitação da Palavra de Deus e da revelação sobrenatural".

O cardeal patriarca de Lisboa entrou na polêmica gerada em torno da Loja Mozart e distanciou a Igreja dessa matéria.

Aliás, diz o patriarca, esta "não é uma questão de primeiro plano, neste momento". Sem, no entanto, fugir às perguntas dos jornalistas, D. José Policarpo acabaria por fazer uma breve história da Maçonaria - (teve origem "canônica, nasceu dentro da Igreja, uma espécie de fraternidade dos construtores de catedrais, daí chamarem-se pedreiros livres) - para concluir que "hoje, a Maçonaria faz parte da sociedade".

"Não é necessário assumir filiação" 

"É conhecida há muito tempo, tem influência na coisa política, só me admiro é que haja gente a surpreender-se com isso", diz o cardeal patriarca e presidente da Conferência Episcopal.

D. José Policarpo considerou, ainda, "não ser necessário" que os detentores de cargos públicos ou os políticos assumam a sua filiação maçônica. "Não vejo que isso tenha uma relevância muito grande", disse o patriarca.

A posição da Igreja católica em relação à Maçonaria é "imutável", lê-se numa declaração do Vaticano, datada de 1983 e transcrita pela agência Ecclesia. Na altura, a pedido do então Papa João Paulo II, o prefeito para a Congregação para a Doutrina da Fé - cardeal Ratzinger, hoje Bento XVI - pronunciava-se sobre o assunto.

"Permanece imutável o parecer negativo da Igreja a respeito das associações maçônicas, pois os seus princípios foram sempre considerados inconciliáveis com a doutrina da Igreja. Permanece proibida a inscrição nelas", escreveu Ratzinger.

Esta notícia me lembrou uma frase "A inquisição dorme apenas, podendo um dia acordar!"

Fonte: Expresso.pt

Um comentário:

  1. NÃO ENTENDO O PORQUE DESTA PRECUPAÇÃO COM A OPINIÃO DA IGREJA.
    T.´.F.´.A.´.
    MÁRCIO.´.

    ResponderExcluir

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares