Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

terça-feira, 17 de julho de 2012

SABER OUVIR



Enquanto AP.’. M.’., e, principalmente nos seis primeiros meses, vivi a angústia pela ansiedade de conhecimento da vida maçônica, o meu maior tormento, era estar impossibilitado de falar em loja, pois que, na minha condição o uso da palavra só me seria dado, após a minha elevação ao G.’. de C..’. M..’.
Discordando dessa norma, por várias ocasiões, me vi em conflito por querer de alguma forma me expressar, contestando e argumentando em cima dos temas colocados e debatidos em loja. Porém com o passar do tempo, cheguei à conclusão de que se naqueles momentos relatados, eu houvesse me manifestado, provavelmente o faria de forma desastrosa, incoerente, ou sem nenhum fundamento dos ensinamentos maçônicos, visto que, não tinha conhecimento suficiente para argumentar sobre qualquer assunto maçônico que ali fosse colocado.
A partir daí pude começar a compreender e aceitar o fato do silêncio imposto ao AP.’. pois que seu primeiro aprendizado vem do aprender a ouvir.
Tão importante quanto saber falar, é saber ouvir. Muitas vezes somos traídos pela tendência de falar sem pensar. Podemos dizer que saber ouvir caminha ao lado de saber falar; sugiro agora uma pequena reflexão: quantas vezes respondemos antes que nosso interlocutor tenha concluído seu pensamento?
Quantas vezes começamos a ficar impacientes enquanto o outro procura fazer-se entender?
Quantas vezes apressamos, monopolizamos paralisamos os que tentam exprimir seus pensamentos, com a nossa expressão facial de desaprovação, invalidação, menosprezo e desqualificação?
Quantas vezes já fizemos com que o outro parasse de falar, por sentir que não adianta tentar completar seu pensamento?
Baseado nessa reflexão como estão suas relações interpessoais?
Saber ouvir exige que façamos opção consciente em apreender o que se passa com o outro, de forma solidária e sem preconceitos, com o objetivo de buscarmos o entendimento.
O diálogo nem sempre é uma tarefa fácil, pois envolve a disponibilidade para aprender novas ideias, quando antes gostaríamos de ensinar; humildade para reconhecer que não somos perfeitos e que não sabemos tudo a respeito de todos os assuntos e admitir a coerência de fundamentos e ideias que não são nossos.
Ouvir é muito diferente do ato de escutar. Escutar é o uso puro e simples do sentido da audição e só não escuta quem é surdo. Ouvir vai além do simples ato de escutar, é uma ação mais profunda pois nos envolve por inteiro e é um processo ativo, ao contrário do que muita gente imagina.
É também, a mais extraordinária das artes a ser dominada pelo homem. ouvir é renunciar! Vivemos imersos em cogitações pessoais e é raro conseguirmos passar algum tempo sem pensar em nós mesmos. Talvez por essa razão a maioria das pessoas ouça tão mal, ou simplesmente não ouça.
Sugiro alguns pontos que podem lhe ajudar a ser um melhor ouvinte: -Fale menos, pois você não pode ouvir enquanto estiver falando.
-Deixe o outro terminar suas frases sem interrompê-lo.
-Ouça sem ficar contra-argumentando internamente, isto dificulta a sua compreensão.
-Acalme a sua mente! Não discuta mentalmente enquanto ouve!
-Controle suas emoções, pois elas podem constituir sérias barreiras à comunicação eficaz.
-Coloque-se no lugar do outro para poder compreender o que ele está dizendo.
-Pergunte quando não entender, quando sentir que precisa de mais esclarecimentos; e também quando desejar mostrar que está escutando.
-Reaja às ideias e não à pessoa.
-Discordância não é sinônimo de rejeição.
-Evite julgamentos precipitados, espere até que todos os fatos sejam colocados antes de fazer qualquer julgamento. Quando os fatos colocados o abalarem emocionalmente, diga que vai esperar algum tempo antes de responder, aproveite esse tempo para refletir e só depois responder. Quando compreendemos o outro, muitas vezes passamos a nos compreender melhor.
-Olhe nos olhos enquanto conversa e encoraje o outro a continuar falando. -Não converse assistindo à televisão ou lendo um jornal, alem de falta de respeito e de educação, desestimula o diálogo e impele o outro a buscar outras pessoas para falar (até mesmo sobre você).
Saber ouvir leva tempo, prática e paciência. É uma arte que mantêm vivos o respeito, a afeição, a amizade, o sentimento de confiança que o outro deposita em nós. Faz com que nossos clientes, colegas de trabalho, filhos, cônjuges e namorados, sintam-se como pessoas importantes e amigos privilegiados.
Assuma, hoje mesmo, um compromisso de falar menos e ouvir melhor.
E agora me dirigindo principalmente aos meus IIR.’. AP.’., a lição mais importante que se pode ter em loja para um pleno aprendizado desta fantástica escola de vida reta que é a Maçonaria, é APRENDER A OUVIR, porque o G A D U nos dotou de um par de orelhas, e uma boca, e aplicando tais ensinamentos à nossa vida profana, estaremos permitindo que a maçonaria entre em nós, pois que para ela, nós já entramos.
RIO DE JANEIRO, 20 DE MARÇO DE 2010.
CLAUDIO GONÇALVES BARROS DE ABREU CM.’.

3 comentários:

  1. Muito bom , ja fiz isso muito de falar sem base ,hoje apos muita dor de cabeça ,estou no caminho certo , gosto muito desse blog por isso ,sempre tem uma palavra que serve pra nos todos.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Claudio Gonçalves Barros de Abreu29 de novembro de 2012 14:58

    Foi uma surpresa boa encontrar aqui postado, o trabalho que fiz logo após minha elevação, agradeço ao Ir.'. que postou.
    Claudio Gonçalves Barros de Abreu M.'.M.'. da A.R.L.S. Monte Castelo, trabalhamos as sextas feiras no templo 8 do Palácio do Lavradío(GOB.RJ).

    ResponderExcluir
  3. Excelente artigo meu Ir∴

    Me lembra uma breve conversa entre um monge e um executivo, no livro "O Monge e o Executivo", de James C. Hunter. Se me permite:

    - Quando você interrompe as pessoas no meio de uma frase, John, você envia algumas mensagens negativas. Número um, se você me interrompeu, é porque não estava prestando muita atenção ao que eu dizia, já que sua cabeça estava ocupada com a resposta. Número dois, se você se recusa a me ouvir, não está valorizando a minha opinião. Finalmente, você deve acreditar que o que tem a dizer é muito mais importante do que o que eu tenho a dizer. John, essas mensagens são desrespeitosas, e como líder você não pode enviá-las.
    - Mas não é assim que eu me sinto, Simeão - retruquei. – Tenho muito
    respeito por você.
    - Seus sentimentos de respeito devem se expressar através de suas ações de respeito, John.

    Essa, sem dúvidas, é uma das maiores lições que temos como Apr∴M∴.
    Em minha L∴, posso tecer algumas considerações como Apr∴, quando autorizado pelo Vig∴ de minha C∴. Mas o seu excelente trabalho me fez refletir sobre muitos comentários que já ouvi:

    - Espero que hoje ninguém peça a palavra (em reuniões mais demoradas);
    - Espero que ninguém hoje coloque nada na B∴PP∴II∴.

    E outros casos de pessoas que dormem, ficam no celular ou se comportam de forma alheia ao correto quando alguém está falando. Que tomemos isso como lição para sermos sempre pessoas educadas, principalmente como IIr∴ em L∴.

    Meus parabéns pelo fruto do seu trabalho, com a G∴A∴G∴A∴D∴U∴. Um T∴F∴A!

    Djoni de Araújo Neves Filho Apr.∴M∴ da A∴R∴L∴S∴ Fraternidade Caucaiense nº 63. (G∴L∴M∴E∴CE∴)

    ResponderExcluir

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares