Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O USO DA ESPADA NA MAÇONARIA



Etimologia:
espada
[Do gr. spáthe, pelo lat. spatha.]
Substantivo feminino
1) Arma branca, formada de uma lâmina comprida e pontiaguda, de um ou dois gumes. [Aum.: espadão, espadagão. Dim.: espadim.]
2) Fig. Poder militar.
Acessório muito usado nas cerimônias maçônicas, geralmente como símbolo do poder e autoridade, e emblema dessipador das trevas da ignorância. Nas reuniões de banquetes ritualísticos, é o nome que se dá à faca. É usada como jóia do Primeiro Experto, Cobridor Interno e Externo.

ESPADA FLAMÍGERA

A que tem a lâmina ondulada, qual língua de fogo serpentino. É usada pelo Venerável Mestre como símbolo do poder criador do G.’.A.’.D.’.U.’. Ao seu triplo tinir com os golpes do malhete (símbolo da autoridade, de que o Venerável se acha investido pela constituição maçônica), é o recipiendário iniciado e admitido nas fileiras da Ordem. Em alguns países latinos é também usada pelo cobridor que assim guarda o Templo qual Cherubim a “guardar o caminho da árvore da vida” (Gênesis 3:24).
A espada, em Maçonaria, é a arma da vigilância com a qual o maçom defende a Ordem; representa o poder e a autoridade dirigidos com justiça e equilíbrio. É um símbolo de igualdade entre os MM.’.MM.’.e, no Rito Adonhiramita é usada em todos os graus do simbolismo, apenas por MM.’.MM.’..
Empunhada com a mão direita, representa uma arma: a Ação Física; a Proteção dos Segredos e dos Princípios da Tradição Maçônica; a Vingança que se abate sobre o traidor e a Consciência que atormenta o perjuro; o compromisso de manter o sigilo, de vencer as paixões que o mundo apresenta entre suas ilusões (as quais o Tempo, inexorável Guardião da Eternidade, consome).
Ao penetrarem no Templo, todos os MM.’.MM.’. devem estar munidos de uma espada introduzida na extremidade inferior da Faixa de Mestre, no local apropriado, exceto os IIr.’.Cobridor e M.’. de CCer.’. que terão suas espadas em esquadria.
Após a abertura dos TTrab.’. , todos os MM.’. que se deslocarem, exceto quando transportando material litúrgico, estarão portando suas espadas.
O Manual do M.’. de CCer.’., na parte que trata da Formação do Pálio, prevê que em Grau de Aprendiz, o Pálio sempre é formado por um Mestre da Col.’. do Sul e outro Mestre da Col.’. do Norte, a convite formal do M.’. de CCer.’., os quais formarão o Pálio portando suas espadas como extensão de seu Bra.’. Dir.’. em ângulo de 52º sobre o A.’. dos JJur.’., estando na abertura, a espada do M.’.de CCer.’.por baixo das demais, dando sustentação, e no encerramento, por cima das demais, sobrepondo-as.
Ao permanecerem sentados os citados OOfi.’.seguram suas espadas com a mão esquerda para a produção da descarga de energia saturada que todos os AA.’. IIr.’. trazem do Mundo Profano; com exceção do Cobridor Interno que deve sempre segurar sua espada com a mão direita, aspecto do comando e da autoridade, capaz de repelir o intruso seja no plano físico, astral ou espiritual que é sua missão em Loja. A lâmina da espada não deve ser tocada para que não se altere sua imantação, interferindo no fluxo energético que se estabelece com a ritualística.
Apesar disso, o ato litúrgico que envolve o uso de espadas na Maçonaria não está ligado à magia ritual primitiva, ainda que os antigos magos empunhassem numa mão uma vara e na outra uma espada. Tão pouco se prende exclusivamente ao sentido guerreiro ou militar! O uso da espada está relacionado a efeitos geomânticos uma vez que todo ritual interfere em correntes de energia.
Esta é uma breve explicação sob dois pontos de nossas sessões, lembre-se de que cada vez que praticamos um ato dentro de loja as suas conseqüências se refletem em cada um dos IIr.’., pois a energia que exalamos é distribuída aos IIr.’. e com eles compartilhada.
Que o G.’.A.’.D.’.U.’. possa sempre nos iluminar e energizar os nossos pensamentos para que possamos sempre trilhar o caminho da verdade, justiça do amor fraternal e nos basear na liberdade, igualdade e fraternidade para que os nossos pensamentos sejam justos e as nossas ações perfeitas caminhando pela régua e se guiando pela esquadria.
Geomancia:
(cí) [Do gr. geomanteía, pelo lat. tard. geomantia.]
Substantivo feminino
1. Adivinhação que se faz deitando pó de terra sobre uma mesa e examinando as figuras que se formam.

Enviado pelo Ir.’. Vicen Ferreres Oliveira de Souza • AP.’.M.’.ARLS Sabedoria, Luz e União Nº 2561 • Feira de Santana • BA
Liturgia e ritualística na incensação e uso de espadas
Flávio Dellazzana, M.’.M.’.
ARLS PEDRA CINTILANTE, 60 – GOSC
Dicionário Aurélio Digital – 5
Simbolismo,Liturgia e Ritualística
Organizado por: Ap.’.M.’.Vicen Ferreres
Professor e Jornalista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares