Páginas


“SÓ PUBLICAMOS TRABALHOS RELACIONADOS COM A ORDEM MAÇÔNICA”

ACEITAMOS A OPINIÃO DE TODOS, DESDE QUE O COMENTÁRIO SEJA ACOMPANHADO DE IDENTIFICAÇÃO E UM E-MAIL PARA CONTATO.


“NÃO SERÃO ACEITOS COMENTÁRIOS ANÔNIMOS”

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

DOCUMENTOS BÁSICOS DO REAA



O Rito Escocês Antigo e Aceito é um tanto complexo e com uma longa história.

O REAA pode ser definido como um sistema de ensino e aprimoramento humano, dividido em grupos e graus.

O REAA nasceu na França, apesar do nome, tem sua origem provável nas corporações escocesas de Kilwining, na Escócia.

Após guerras na Palestina, maçons operativos que trabalhavam no oriente teriam se deslocado, entre outros lugares, para a Escócia sendo os responsáveis pela disseminação da Maçonaria no continente Europeu, muito mais que a Grande Loja Unida da Inglaterra, simplesmente, como muitos acreditam. A França contribuiu muito para a disseminação da maçonaria pelo mundo, particularmente o REAA.

O Objetivo aqui é apenas ressaltar os documentos básicos da história do Rito.

Os documentos fundamentais do escocesismo, em ordem cronológica são:

1. O Discurso de Ramsay, de 1737, publicado em 1738.


2. A constituição de 1762, emanada do Conselho dos Imperadores do Oriente e do Ocidente, complementada por Estatutos, Institutos e Regulamentos Gerais; a Patente de Morin.


3. Os Novos Institutos Secretos e Fundamentais, que falsamente atribuídos a Frederico II, embora sejam posteriores, constam com data de 1786.


4. As Constituições, Estatutos e Regulamentos, para o governo do Supremo Conselho dos Inspetores Gerais, também atribuídos a Frederico II e com data de 1786, embora sejam posteriores.


5. As Resoluções do Congresso de Lausane, de 1875.

Todo o sistema do Rito Escocês Antigo e Aceito está baseado nesses textos, embora possa cada obediência Filosófica (Supremo Conselho do Rito) organizar os seus Regimentos e elaborar as leis necessárias ao seu funcionamento.

É evidente que o discurso de Ramsay não entra nessa relação com força de regulamentação, como acontece com os demais documentos; todavia, como ele representou uma tendência a uma profunda reforma institucional na Maçonaria e como é considerado o precursor da implementação dos Altos Graus (que ocorreria em 1762), não pode deixar de constar entre os textos basilares do sistema escocês. O mesmo ocorre com a patente de Morin, que foi o ponto de partida para a implementação do sistema escocês nas Américas e é fundamental na história do Rito, embora não seja regulamentar.



Bibliografia:  O Rito Escocês Antigo e Aceito - história, doutrina e prática - José Catelani - Ed. A Trolha ltda. - 2ª edição 1996

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários anônimos não serão ACEITOS. Deixe seu nome completo e e-mail para resposta.
Contato: foco.artereal@gmail.com

Postagens populares